Enzimas para etanol de segunda geração

Publicado em 07/11/2011
Segunda edição de workshop sobre hidrólise enzimática visa consolidar estratégia para tecnologia industrial de etanol celulósico

Assessoria de Comunicação, em 07/11/2011

Nos dias 24 e 25 de novembro de 2011 o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) vai promover em Campinas-SP o Workshop on Second Generation Bioethanol 2011: Enzymatic Hydrolysis. O evento busca disseminar descobertas científicas na área e identificar o que ainda precisa ser feito em ciência básica para criar rotas eficientes de hidrólise em escala industrial.

Levantamentos realizados pelo CTBE mostram que a conversão do bagaço e palha da cana-de-açúcar em etanol (conhecido como etanol celulósico ou de segunda geração) pode ampliar a produção do biocombustível em até 50% sem aumentar área plantada. Entretanto, gargalos tecnológicos impedem a execução do processo em escala industrial. Um deles é o elevado custo de produção das enzimas que transformam (hidrolisam) as cadeias de celulose e hemicelulose da biomassa em açúcares fermentáveis em etanol, tema central do workshop a ser realizado em Campinas.

Sete palestrantes brasileiros e seis estrangeiros trarão contribuições sobre as seguintes áreas:

i) interações entre enzimas hidrolíticas e polissacarídeos estruturais da parede celular de plantas;
ii) relações entre estrutura e função de enzimas e;
iii) questões econômicas sobre bioprocessos envolvidos na produção de etanol celulósico.

Entre os conferencistas internacionais está Bernard Henrissat, do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS) da França, fundador e administrador do CAZy (Carbohydrate-Active enZYmes – www.cazy.org), um dos principais bancos de dados sobre hidrolases (genes, proteínas e estruturas de proteínas) do mundo. “Hoje é praticamente impossível trabalhar nesta área sem utilizar o CAZy”, informa Marcos Buckeridge, diretor científico do CTBE e um dos organizadores do Workshop.

Os cientistas do CTBE, por sua vez, levarão para o evento descobertas ligadas à caracterização do bagaço e palha de cana-de-açúcar com diferentes abordagens, enzimas hidrolíticas e estrutura e arquitetura da parede celular. Também será discorrido sobre o Biomass-Enzyme Relationship Discovery System (BERDIS), sistema em desenvolvimento pelo Programa de Pesquisa Básica do Laboratório que visa formar um corpo de dados e uma estratégia de bioinformática que permita correlacionar as melhores enzimas a serem utilizadas na degradação da biomassa de cana.

Esta é a segunda edição do evento, que conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A primeira aconteceu em 2010, focou na hidrólise a partir de enzimas provenientes de fungos e contou com mais de 100 profissionais da área. Neste ano, além da ampliação do tema a ser discutido, haverá apresentação de pôsteres e sessões de debate com os palestrantes.

As inscrições para o Workshop on Second Generation Bioethanol 2011: Enzymatic Hydrolysis podem ser realizadas gratuitamente pelo site www2.bioetanol.org.br/workshopfungi2 até o dia 18 de novembro de 2011 ou enquanto houver vagas. O site contém informações aos grupos de pesquisa quem desejam apresentar pôsteres com resultados científicos ligados às áreas contempladas. Os resumos dos trabalhos podem ser submetidos até 14 de novembro de 2011. Os pôsteres selecionados serão divulgados no site do evento no dia 16 de novembro.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone