Recursos para colocar o País na vanguarda da tecnologia

Publicado em 22/02/2018
PSD, 15/02/2018

 

O presidente Temer e o ministro Gilberto Kassab assinam documento destinando mais R$ 218 milhões ao Projeto Sirius, que ampliará capacidade de pesquisas científicas do Brasil

 

Segundo Kassab, o Sirius é uma prioridade e deverá começar a funcionar ainda este ano, consolidando a região de Campinas como grande polo de tecnologia

 

O presidente Michel Temer e o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, assinaram nesta quinta-feira (15), em Campinas, documento que prevê repasse de R$ 218 milhões para o Projeto Sirius em 2018. O Sirius é a nova fonte de luz sincrotron brasileira, em construção no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), que faz parte do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). De acordo com Kassab, o projeto é um marco que vai colocar o Brasil na vanguarda da ciência e tecnologia mundial.

O Sirius é a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no país e uma das maiores do mundo. A nova fonte de luz sincrotron permitirá a realização de experimentos em áreas como ciência dos materiais, nanotecnologia, biotecnologia, física e ciências ambientais, além de contribuir para a internacionalização da ciência brasileira por meio do aumento da presença de estrangeiros entre os usuários

O ministro Kassab destacou, durante a visita ao laboratório, que “o governo federal e o Ministério trabalham para que a ciência e a tecnologia do Brasil tenham o desenvolvimento adequado e coloquem o país na fronteira do conhecimento”.

Segundo ele, o Sirius é uma prioridade e deverá começar a funcionar ainda este ano, consolidando a região de Campinas como um grande polo de tecnologia no país. O projeto é financiado com recursos do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e também integra o programa “Avançar”, do governo federal.

Durante sua visita ao CNPEM para conhecer o projeto, o presidente Temer destacou que o Sirius deve ser motivo de orgulho para os brasileiros. “Acabamos de conhecer um projeto extraordinário, com tecnologia avançadíssima. Isso revela as potencialidades do país”, declarou.

Prazos

A expectativa é que a primeira volta de elétrons no acelerador do Sirius ocorra em agosto deste ano, e a abertura para pesquisadores de todo país e do mundo deve acontecer em 2020. As obras civis tiveram início em janeiro de 2015. Mais de 80% das obras civis de infraestrutura já foram concluídas. Com relação aos equipamentos, cerca de 80% também já estão prontos.

A nova fonte de luz sincrotron tem em seu coração um acelerador de elétrons de última geração, é projetada para produzir um tipo de radiação eletromagnética que inclui desde a luz infravermelha até os raios X. A luz síncrotron é utilizada na análise estrutural dos mais diversos materiais, pois consegue atravessar as amostras e revelar as informações a respeito dos materiais investigados, no nível dos seus átomos e moléculas.