Setor sucroenergético agrega a sustentabilidade e a geração de renda, afirma governador Geraldo Alckmin na abertura da 25ª Fenasucro

Publicado em 01/09/2017
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, 23/agosto/2017

 

Governador participou da abertura oficial do evento que espera receber 35 mil visitante e gerar R$3,1 bilhões em negócios (Foto: João Luiz)

Governador participou da abertura oficial do evento que espera receber 35 mil visitante e gerar R$3,1 bilhões em negócios (Foto: João Luiz)

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que o setor sucroenergético é fundamental para o desenvolvimento econômico, ambiental e social do País, durante a abertura da 25ª edição da Fenasucro & Agrocana, em Sertãozinho, na tarde desta terça-feira (22). O secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim também participou da abertura. O governador destacou o potencial do setor, que agrega sustentabilidade, contribuindo para a geração de energia limpa e biocombustíveis e a geração de emprego e renda.

“O Estado de São Paulo é capital do setor sucroalcooleiro. Tem um grande potencial de agregação de valor para o agronegócio, tecnologias inovadoras para aumentar a produtividade, além de ser um gerador de emprego e renda, melhorando a qualidade de vida do produtor e contribuindo para o desenvolvimento social.

Geraldo Alckmin reforçou o compromisso do governo paulista em trabalhar para fortalecer o setor. “Nós temos o menor ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias) sobre o etanol em todo o Brasil: 12%. Além disso, São Paulo é referência mundial em produção e utilização de insumos renováveis e possui uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo”, disse o governador, destacando que assinou o manifesto de apoio à implementação do RenovaBio (leia mais aqui).

A pujança do setor também foi destacada pelo secretário Arnaldo Jardim. Ele comparou a cadeia produtiva à ave mitológica fênix, por sua capacidade de se recuperar, mesmo diante da crise econômica do País. “Estamos falando de um segmento formidável, capaz de crescer com inovação e tecnologia, como é o caso da cana, que pode ser cortada várias vezes antes de ser replantada”, disse.

“O setor sucroalcooleiro evolui permanentemente, com melhoramento genético, novas tecnologias de plantio e manejo do solo, aperfeiçoamento dos tratos culturais e evolução da colheita”, complementou o titular da Pasta.

Arnaldo Jardim destacou também a capacidade do setor sucroenergético para o crescimento econômico e a sustentabilidade social e ambiental. “O Brasil e o mundo não podem mais esperar para adotar o etanol como o combustível do presente e do futuro”, disse.

O titular da Pasta destacou também o compromisso do governo paulista com as energias renováveis reforçado por Geraldo Alckmin ao assinar em agosto manifesto em apoio à priorização do setor de biocombustíveis, documento também firmado por 18 entidades do segmento.

O Estado de São Paulo tem 5,88 milhões hectares de cana e aproximadamente 100 unidades produtoras em atividade. É o maior produtor nacional de cana-de-açúcar (55,2% da produção brasileira e maior produtor mundial); etanol (48,3% da produção nacional); e açúcar (63,6% da produção brasileira).

Na cogeração de bioeletricidade na safra 2016/2017, o setor sucroenergético paulista produziu um total de 17.583 GWh.

Governador visita estandes na Fenasucro& Agrocana com o secretário Arnaldo Jardim (Foto: João Luiz)Governador visita estandes na Fenasucro& Agrocana com o secretário Arnaldo Jardim (Foto: João Luiz)

O otimismo marcou o lançamento da Fenasucro. “É a maior feira do setor do mundo. Toda a cadeia produtiva esta empenhada em continuar gerando emprego e trabalhando para desenvolvimento de práticas ambientais, contribuindo para diminuir a emissão de CO² “, ponderou Aparecido Luis, presidente do Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis (Ceise-BR).

Discurso ratificado pelo gerente geral da Fenasucro, Paulo Montabone, para quem “a Feira seguirá a tendência da retomada do setor sucroenergético. O principal foco é a realização de negócios. Teremos muitas novidades e tecnologia para que o setor continue se desenvolvendo”.

Em 2016, a feira gerou negócios na ordem de R$ 2,9 bilhões, recebendo 35 mil visitantes de mais de 45 países e mais de mil marcas expositoras. Para 2017, são esperados 35 mil visitantes, que devem gerar R$ 3,1 bilhões em negócios e participar de mais de 300 horas de troca de informações em palestras, workshops e conferências.

Entre as novidades anunciadas para este ano, está a realização do Fórum de Produtores de Agroenergia em parceria com a Organização de Plantadores de Cana da Região Centro Sul DO País (Orplana), Datagro e Reed Exhibitions Alcantara Machado. O encontro inédito trará 500 produtores de cana, milho e beterraba açucareira de cerca de 40 países para uma discussão globalizada sobre produções, processos, suas convergências e divergências.

Outra novidade é a participação, também pela primeira vez, do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), apresentando soluções e pesquisas em um workshop sobre Bioeconomia. O laboratório, que integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), contará também com um estande que mostrará equipamentos de última geração para análise de matérias primas e subprodutos do setor de bionergia.

O evento é realizado pelo Ceise-BR e organizado pela Reed Exhibitions Alcântara Machado no Centro de Eventos Zanini. Mais informações no www.fenasucro.com.br.

Prêmio MasterCana

Na noite desta terça-feira, o secretário Arnaldo Jardim participou da premiação MasterCana, que reconheceu as personalidades do ano da cadeia produtiva do setor sucroenergético, em Sertãozinho.

Por Paulo Prendes
Foto: João Luiz

 

Repercussão: UDOP; Segs

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone