Nova patente de invenção depositada pelo LNNano e Petrobras

Publicado em 21/07/2016
NIT Mantiqueira, em 13/07/2016

 

O pedido de patente refere-se tecnologia point-of-care para ensaios analíticos quantitativos, em locais remotos, para a cadeia de gás natural liquefeito. O campo da aplicação do método vai desde a análise de etanol vendido em postos de combustíveis até aditivos adicionados às correntes de petróleo.

 

O pedido é o resultado de um dos vários projetos de cooperação entre o LNNano e a empresa, cujo objetivo era desenvolver uma tecnologia point-of-care para ensaios analíticos quantitativos em locais remotos, para a cadeia de exploração e produção de gás natural liquefeito. O campo da aplicação do método desenvolvido vai desde a análise de amostras de etanol vendido ao consumidor em postos de combustíveis até a análise de monoetilenoglicol, um aditivo adicionado às correntes de petróleo.

A geração de nanogotas em dispersões termodinamicamente estáveis  permite determinações analíticas mediante a detecção óptica ou visual da variação de turbidez do sistema (imagem), que consiste inicialmente de emulsões ou sistemas de Winsor. O método baseia-se no efeito do analito sobre a entropia das dispersões e representa uma alternativa promissora para o desenvolvimento de plataformas do tipo point-of-care.

Designado como MEC (microemulsification-based method), esse método foi aplicado até o momento para a determinação de água em etanol combustível e monoetilenoglicol em amostras complexas de gás natural liquefeito.

A Petrobras é a 5ª maior empresa da área de petróleo e gás no ranking de número anual de depósito de patentes no mundo (122 patentes em 2013). A empresa tem um histórico de investimentos em inovação bem sucedidos e, assim como o LNNano, acredita que a proteção da propriedade intelectual é uma ferramenta estratégica essencial na economia do conhecimento (veja Carvalheiro, INPI – 2014).

A tecnologia patenteada está disponível para licenciamento pelos titulares. Informações técnicas detalhadas poderão ser obtidas com os pesquisadores Angelo L. Gobbi e Renato S. Lima do LMF.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone