Invenção do CTBE permite produção de açúcar de mesa a partir da Cana-Energia

Publicado em 05/09/2017

RPANews, 28 de agosto/2017

Na agricultura, o que interessa é a produtividade por hectare. No setor sucroenergético, boa parte das crises tem como origem a estagnação da produtividade da cana, e em alguns casos o seu decréscimo. Nos últimos anos surgiu um novo produto, a cana-energia, o “petróleo verde”, capaz de duplicar a quantidade de biomassa produzida por hectare.

Essa cana é mais rica em fibra, que é um açúcar insolúvel, e tem menor concentração de sacarose – o açúcar de mesa – no caldo, o que impossibilita a sua separação. Com isso, a cana-energia, embora muito mais produtiva, tinha seu uso limitado a produção de etanol e energia elétrica.

Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE/CNPEM), um dos quatro laboratórios que integram o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), pioneiro em pesquisa e inovação voltada à produção de energia, bioquímicos e biocombustíveis avançados a partir de biomassa, deu um passo decisivo que permitirá a ampla adoção da cana-energia pelo setor possibilitando ao país, em curto prazo, dobrar a produção de energia de biomassa e etanol, sem perder a produção do açúcar, o mais rentável dos produtos, e sem aumento de área plantada.

A invenção, que torna possível a obtenção de açúcar a partir de cana energia, envolveu o desenvolvimento de uma nova levedura que não consome (metaboliza) sacarose e a otimização de um processo para obtenção de açúcar. A patente desta nova invenção foi depositada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) no dia 2 de junho. Grandes empresas do setor já mostram interesse pelo uso da tecnologia.

Números comparativos

  • Com um hectare plantado de cana convencional, uma fábrica de açúcar produz 8,2 toneladas de açúcar, 1,7 mil litros de etanol (a partir do melaço) e 5,6 MWh de energia elétrica excedente.
  • Já com um hectare plantado de cana energia, uma fábrica de açúcar produziria 8,1 toneladas de açúcar, 4,6 mil litros de etanol e 20 MWh de energia elétrica excedente.
  • Considerando uma destilaria autônoma, poderia ser produzido até 6,8 mil litros de etanol e 5,6 MWh por hectare com cana convencional e 9,2 mil litros de etanol e 20 MWh com cana energia.
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone