Diretor do LNLS anuncia início das obras do projeto Sirius

Publicado em 07/03/2013

Portal MCTI, em 06/03/2013

O diretor do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), Antonio José Roque da Silva, anunciou, na 23ª Reunião Anual de Usuários do LNLS, que em abril terão início as obras de terraplanagem e drenagem do terreno onde será construída a nova fonte síncrotron, Sirius. A área, de 150 mil metros quadrados, instalada ao lado do campus doCentro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas (SP), já foi considerada de utilidade pública pelo governo do estado de São Paulo e será desapropriada.

“Sirius será uma máquina única, no estado da arte da tecnologia”, afirmou o diretor. “Vamos trabalhar para cumprir o cronograma e garantir o primeiro feixe de elétrons em 2016.”

fonte de terceira geração terá energia de 3 elétrons-volts (GeV) e brilho muito mais intenso que o da atual. A previsão é que esteja aberta a pesquisadores do Brasil e do exterior em 2017. Durante o encontro em Campinas foram apresentadas as especificações técnicas e científicas das primeiras 13 linhas de luz de Sirius, que permitirão aos pesquisadores brasileiros explorar novas fronteiras da biologia estrutural, trazer resoluções nanométricas nas análises estruturais e espectroscópicas de materiais, obter imagens 3D em tomografia por raios X, entre outros. Assista a apresentação sobre o projeto.

Reunião

A reunião, realizada nos dias 26 e 27, teve a participação de cerca de 200 pesquisadores do Brasil e de outros países, com o objetivo de fomentar o debate científico entre usuários, promover a troca de experiências e consolidar a comunidade de pesquisadores do LNLS.

Ao longo de dois dias, os pesquisadores participaram de sessões plenárias, reuniões paralelas e sessões de pôsteres, em que foram divulgados resultados das investigações realizadas ao longo do último ano.

No encontro, os pesquisadores homenagearam diretor científico do LNLS, Yves Petroff, que está voltando para a França e será substituído pelo atual vice-diretor científico, Harry Westfahl Júnior,.

Antes de assumir o cargo, em 2009, Petroff foi diretor de pesquisa do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), da França; diretor- geral do European Synchrotron Radiation Facility (ESRF), em Grenoble; e diretor de Pesquisa do Ministério de Pesquisa da França, entre outras funções. Foi um interlocutor importante durante o processo de construção do LNLS, desde 1982, e integrou o seu comitê científico. Como diretor, contribuiu para a melhoria das instalações de pesquisa e pela definição das primeiras linhas de luz que integrarão a nova fonte.

Texto: Ascom do CNPEM

Repercussão: Jornal da Ciência, Brazilian Space Blog, Blog do Biomol Group,

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone