Campinas abrigará Centro de Produção de cobaias transgênicas usadas em estudos medicinais

Publicado em 14/05/2010
Correio Popular, em 14/05/2010

 

Campinas vai contar com o primeiro centro de produção e distribuição de cobaias geneticamente modificadas do País. O Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), localizado no campus do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, financiado pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, onde também se situa o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), receberá aproximadamente R$ 2 milhões em investimentos por parte do governo Federal para criar o instituto.

As instalações devem ser construídas a partir de junho deste ano e o coordenador do projeto, o pesquisador José Xavier Neto afirma que as instalações darão autonomia às inovações em pesquisas biomédicas no Brasil. “Iremos superar as dificuldades existentes na importação e exportação desse tipo de modelos animais, como preço e prazo de entrega. Poderemos treinar pessoal para difundir a prática de produção de cobaias transgênicas em todo o Brasil e pesquisadores poderão ampliar seus estudos em áreas em que antes não podiam atuar”, afirmou. No centro serão gerados camundongos criados com a finalidade exclusiva de se estudar determinados tipos de doenças. Microscópios especiais e microinjetores introduzem trechos de DNA recombinante no embrião do animal, que se desenvolve com um determinado tipo de patologia encontrada em seres humanos e que ainda precisa ser estudada. O pesquisador afirma que no Brasil já existem alguns centros que realizam esse tipo de manipulação genética, mas em escala muito reduzida. “A grande diferença será a escala. O País já tem expertise nesse tipo de trabalho científico, mas agora poderemos controlar a qualidade desses animais e teremos um núcleo centralizando as atividades, onde outros pesquisadores do Brasil poderão recorrer”, afirmou o pesquisador. No local, também haverá treinamento especializado para formar profissionais na área de manipulação genética. Dessa forma, institutos e universidades brasileiros poderão formar quadros técnicos no LNbio.

A implantação das novas instalações foram comemoradas pela comunidade científica de Campinas. A diretora do Centro Multidisciplinar para Investigação Biológica na Área da Ciência em Animais de Laboratório (Cemib) da Universidade de Campinas (Unicamp). A diretora do centro, Delma Pegolo, diz que o trabalho realizado no futuro instituto permitirá que muitos pesquisadores brasileiros aprofundem o estudo de diversos tipos de doenças. “Temos tido uma demanda crescente de modelos animais (cobaias transgênicas) e muitas vezes pesquisadores precisam abandonar seus estudos ou ir para o Exterior devido à falta de estrutura. As perspectivas são bem positivas”, disse a diretora do centro.

José Xavier Neto afirma que o apoio do governo Federal vem aumentando, mas afirma que mesmo que os recursos não sejam enviados, o projeto será tocado com financiamento particular. “Esse é um projeto do LNbio e mesmo que os recursos não venham iremos seguir com o projeto”, garantiu.

Central de pesquisas no Brasil
Outras instituições do País já produzem modelos animais geneticamente modificados, mas em pequena escala. Entre os centros se destacam, o Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro(UFRJ) e a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Nesses locais os experimentos são feitos com pequenas equipes e poucos recursos. O centro de Campinas deverá centralizar as pesquisas no Brasil e treinar pessoal para essas instituições. José Xavier Neto acredita que três microinjetadores deverão ser contratados para o início das pesquisas e outros profissionais deverão ser recrutados para terinamento.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone