Brasil está a planear lançar a sua primeira missão à Lua até 2020

Publicado em 09/12/2016
ZAP aeiou em 01/12/2016

 

O Brasil planeia lançar até dezembro de 2020 a sua primeira missão à Lua, com um nanosatélite que irá orbitar o astro para investigar os efeitos do ambiente espacial interplanetário sobre diferentes formas de vida.

O objetivo do projeto é enviar uma sonda até à órbita da Lua, a 384,400 quilómetros da Terra, de onde recolherá dados sobre a superfície lunar e conduzirá experiências científicas pioneiras com micróbios, moléculas e células humanas.

O projeto Garatéa-L, coordenado por investigadores do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron e do Instituto de Química da Universidade de São Paulo, tem um custo de 35 milhões de reais (9,69 milhões de euros), segundo uma nota publicada no ‘site’ da USP.

“A ideia é beneficiarmos da recente revolução dos nanossatélites, mais conhecidos como cubesats, para colocar o país no mapa da exploração interplanetária”, disse Lucas Fonseca, engenheiro espacial da empresa Airvantis e gerente do projeto Garatéa-L.

Segundo a nota da USP, “um instrumento embarcado também fará a medição dos níveis de radiação em órbita cislunar, um resultado que terá importância para planos internacionais futuros de missões tripuladas de longa duração à Lua”.

A iniciativa conta com contribuições e participantes do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica, da USP, do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, do Instituto Mauá de Tecnologia e da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

O lançamento será realizado numa parceria entre duas empresas britânicas com a Agência Espacial Europeia (ESA) e a do Reino Unido (UK Space Agency), que no mesmo voo deverão enviar a primeira missão ao espaço profundo de caráter comercial.

O veículo lançador contratado é o indiano PSLV-C11, o mesmo foguete que enviou com sucesso a missão Chandrayaan-1 para a Lua, em 2008, segundo a USP.

Na nota lê-se ainda que “a espaçonave precisa de estar pronta para voar até setembro de 2019, mesmo ano em que se completa o cinquentenário do primeiro pouso do homem na Lua”.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone