Brasil e Irã estudam cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação

Publicado em 08/03/2010

08/03/2010 – Portal MCT

O ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, se reuniu nesta quarta-feira (4) com o embaixador da República Islâmica do Irã, Mohsen Shaterzadeh. No encontro, eles conversaram sobre um possível acordo de cooperação bilateral em Ciência Tecnologia e Inovação.
O Irã tem interesse em fechar parcerias nas áreas de nanotecnologia, biotecnologia e biocombustíveis. Segundo o governo iraniano, o país avança bastante na área tecnológica, especialmente em biotecnologia e nanotecnologia, consideradas prioritárias. Foram propostas, como modalidades de cooperação, o intercâmbio de conhecimento e pesquisas. Hoje, a República Islâmica do Irã está entre os 25 principais centros de produção científica do mundo.

Desde segunda-feira (2), uma comitiva brasileira participa da Feira de Nanotecnologia do Teerã. O diretor do Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS/MCT), de Campinas (SP), Antônio José Roque Silva, e o assessor da diretoria do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE/MCT), Esper Abrão Cavalheiro, visitam instituições de pesquisa do país. A visita à República Islâmica do Irã termina domingo (8).

O Irã é um importante parceiro comercial do Brasil. Em 2007, o país foi o principal mercado das exportações de milho, o segundo de açúcares e produtos de confeitaria, o terceiro de óleo de soja. Além disso, os iranianos são importantes compradores de carne e grãos.O ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, se reuniu nesta quarta-feira (4) com o embaixador da República Islâmica do Irã, Mohsen Shaterzadeh.

No encontro, eles conversaram sobre um possível acordo de cooperação bilateral em Ciência Tecnologia e Inovação. O Irã tem interesse em fechar parcerias nas áreas de nanotecnologia, biotecnologia e biocombustíveis. Segundo o governo iraniano, o país avança bastante na área tecnológica, especialmente em biotecnologia e nanotecnologia, consideradas prioritárias. Foram propostas, como modalidades de cooperação, o intercâmbio de conhecimento e pesquisas. Hoje, a República Islâmica do Irã está entre os 25 principais centros de produção científica do mundo.

Desde segunda-feira (2), uma comitiva brasileira participa da Feira de Nanotecnologia do Teerã. O diretor do Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS/MCT), de Campinas (SP), Antônio José Roque Silva, e o assessor da diretoria do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE/MCT), Esper Abrão Cavalheiro, visitam instituições de pesquisa do país. A visita à República Islâmica do Irã termina domingo (8).

O Irã é um importante parceiro comercial do Brasil. Em 2007, o país foi o principal mercado das exportações de milho, o segundo de açúcares e produtos de confeitaria, o terceiro de óleo de soja. Além disso, os iranianos são importantes compradores de carne e grãos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone