Conselho Regional de Química premia pesquisa desenvolvida por estagiária do CNPEM

Publicado em 20/06/2022
Assessoria de Comunicação em 20/06/2022

O trabalho de autoria de Daiane Batista da Silva foi vencedor do prêmio Química de Nível Superior do Prêmio CRQ-IV 2022

Adesivo renovável mantém substratos de vidro colados mesmo na presença de água

 

O trabalho de estágio de Daiane Batista da Silva foi vencedor do prêmio CRQ-IV 2022 na categoria Química de Nível Superior. Daiane, que hoje é funcionária do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), investigou como as interações eletrostáticas entre nanomateriais renováveis e substratos (papel, plástico, alumínio) podem ser ajustadas para o desenvolvimento de adesivos renováveis e estáveis na presença de água.

A pesquisa busca responder a esforços internacionais para se alcançar objetivos de desenvolvimento sustentável estabelecidos pela Assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU), entre eles, a substituição de derivados de petróleo por materiais obtidos a partir de fontes naturais e renováveis.

Os materiais usados na pesquisa realizada pela Daiane combinam substâncias abundantes na natureza, que podem ser explorados para a moldagem de materiais funcionais e sustentáveis. A nanocelulose, em particular, pode ser obtida a partir de resíduos agroindustriais, como o bagaço da cana, por exemplo.

Devido a características como biodegradabilidade, alta capacidade de modificação superficial, resistência e propriedades mecânicas excepcionais esses materiais estão sendo amplamente estudados em escala nanométrica.

 

Adesivo estável na presença de água

O trabalho de pesquisa usou recursos sofisticados do parque de microscopia do LNNano, como crio-microscopia e microscopia de força atômica para investigar detalhadamente a dinâmica de interações entre as superfícies de biopolímeros e nanofibras de celulose buscando sintetizar um adesivo com baixo teor de sólidos que fosse capaz de aderir diferentes materiais tanto em ambientes secos como molhados.

A inspiração para novos recursos funcionais vem da observação de animais na natureza.

“A biomimética estuda os mecanismos e o controle de funções presentes nos seres vivos para confecção de novas ferramentas e tecnologias que possam resultar em novos produtos. Quando se trata das propriedades de adesão observadas na natureza, alguns animais marinhos, como o mexilhão e a minhoca castelo de areia apresentam a capacidade de se unir materiais embaixo d’água através da excreção de adesivos a base de proteínas “, destaca Juliana Bernardes, pesquisadora do CNPEM que supervisionou o estágio e orientou o trabalho.

A interação eletrostática, entre compostos de cargas elétricas opostas, é considerada uma das mais importantes para a compreensão de materiais sintetizados por animais que revelam propriedades adesivas e coesivas peculiares.

 

Patente

A estudante Daiane Batista da Silva, vencedora do prêmio CRQ-IV 2022, na categoria Química de Nível Superior

 

O trabalho em laboratório, que contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), tornou possível a obtenção de um adesivo composto da combinação de fontes naturais com as propriedades desejadas. O processo de obtenção do adesivo acaba de ser patenteado.

” Nós descobrimos que essa combinação de materiais é muito eficiente para gerar adesão entre diferentes substratos, especialmente o papel, o plástico e o alumínio, muito usados, por exemplo, no segmento de embalagens. Nosso trabalho também demonstrou que a resistência do adesivo é ainda melhor em condições de alta umidade. Isso se deve à combinação da nanocelulose com outros materiais, como nanopartículas, de carga negativa”, revela a química Daiane Batista da Silva.

 

O prêmio CRQ-IV 2022

O prêmio CRQ-IV 2022, promovido pelo Conselho Regional de Química – IV Região, é voltado para estudantes de cursos técnicos e superiores ministrados no Estado de São Paulo.

Realizado desde 1998, a edição de 2022, excepcionalmente, permitiu inscrições de candidatos formados a partir de 2020, por conta da pandemia de SARS Cov-2

A cerimônia de premiação acontece em sessão solene dia 20 de junho às 19 horas no Auditório Franco Montoro, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

Os vencedores das categorias Química de nível Médio, Química de Nível Superior e Engenharias da Área Química vão receber R$ 10 mil reais em dinheiro e os respectivos orientadores a quantia de R$ 6 mil.

 

 

Sobre o CNPEM

 

Ambiente sofisticado e efervescente de pesquisa e desenvolvimento, único no Brasil e presente em poucos centros científicos do mundo, o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) é uma organização privada sem fins lucrativos, sob a supervisão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). O Centro opera quatro Laboratórios Nacionais e é o berço do projeto mais complexo da ciência brasileira – Sirius – uma das fontes de luz síncrotron mais avançadas do mundo. O CNPEM reúne equipes multitemáticas altamente especializadas, infraestruturas laboratoriais globalmente competitivas e abertas à comunidade científica, linhas estratégicas de investigação, projetos inovadores em parceria com o setor produtivo e formação de investigadores e estudantes. O Centro é um ambiente impulsionado pela pesquisa de soluções com impacto nas áreas de Saúde, Energia e Materiais Renováveis, Agroambiental, Tecnologias Quânticas. A partir de 2022, com o apoio do Ministério da Educação (MEC), o CNPEM expandiu suas atividades com a abertura da Ilum Escola de Ciência. O curso superior interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação adota propostas inovadoras com o objetivo de oferecer formação de excelência, gratuita, em período integral e com imersão no ambiente de pesquisa do CNPEM