Tecnologia contra a corrosão

Publicado em 25/07/2009

25/07/2009 – O Dia Online

Petrobras já investiu cerca de R$ 12 milhões no laboratório, que recebeu equipamentos de última geração

Rio – O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) inaugurou, dia 8 de julho, as novas instalações do Laboratório de Corrosão e Proteção (LCP), um dos mais avançados do mundo na área de materiais e controle de corrosão. A Petrobras investiu R$ 11,8 milhões na modernização do laboratório. A iniciativa é parte da estratégia da companhia de firmar parcerias com universidades e instituições nacionais de pesquisa, possibilitando um salto qualitativo no parque tecnológico nacional no setor de energia.

Para isso, a Petrobras investe, desde 2006, em torno de R$ 400 milhões por ano em instituições de todo o Brasil, que trabalham de forma articulada e complementar na superação de desafios tecnológicos.

Segundo Carlos Tadeu Fraga, gerente-executivo do Centro de Pesquisas da Petrobras, a companhia está entre as cinco empresas que mais investem em pesquisas e desenvolvimento no mundo. “Temos mais de 100 instituições beneficiadas, trabalhando em redes temáticas voltadas para assuntos de interesse da Petrobras”, afirmou.

O LCP dedica-se ao estudo da corrosão em equipamentos e estruturas metálicas, contribuindo com o setor produtivo nacional. Com os investimentos da Petrobras, o laboratório passou por uma completa reformulação, ampliando suas instalações e adquirindo equipamentos de última geração para testes em corrosão interna em dutos, corrosão externa, proteção catódica, corrosão em biocombustíveis e revestimentos. Entre as pesquisas realizadas nas novas instalações, estarão novas tecnologias para transporte de etanol e biodiesel e ensaios para avaliar a corrosividade do petróleo e derivados.

Este investimento está no âmbito da Rede Temática de Materiais e Controle de Corrosão, formada por 14 instituições e coordenada pela Petrobras. Por meio desta rede, serão investidos R$ 130 milhões até o fim de 2012 nas instituições integrantes. Desse total, R$ 69 milhões já foram repassados para os parceiros até o momento.

Além do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), fazem parte desta rede as seguintes instituições: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Instituto Nacional de Tecnologia (INT), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Laboratório Nacional de Luz Sincroton (LNLS), Pontifícia Universidade Católica (PUC), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone