Pesquisadora do Boldrini receberá Prêmio Capes

Publicado em 12/12/2013

Centro Infantil Boldrini em 12/12/2013

A pesquisadora Priscila Pini Zenatti do Centro Infantil Boldrini receberá o Prêmio Capes de Tese 2013 da área de Ciências Biológicas, pela tese Estudo do IL-7R na Leucemia Linfoide Aguda pediátrica de linhagem T, em Brasília, no dia 10 de dezembro. O reconhecimento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) é dado às melhores teses de doutorado selecionadas em cada uma das 48 áreas do conhecimento dos cursos de pós-graduação. A premiação inclui também o Grande Prêmio Capes de Tese.

A tese premiada, defendida em 2012 pelo Programa de Pós-Graduação de Genética e Biologia Molecular da Unicamp, sob a orientação do pesquisador do Boldrini José Andrés Yunes e coorientação do professor doutor Jörg Kobarg, do Laboratório Nacional de Biociências, identifica a mutação ativadora na proteína IL-7R (Receptor da Interleucina 7).

A pesquisa da mutação, financiada com projeto Fapesp e bolsas de estudos do CNPq, levou cinco anos para ser concluída e revela que a proteína IL-7R defeituosa leva à proliferação descontrolada das células na leucemia linfoide aguda T (LLA-T). Foram estudados 201 pacientes com leucemia linfoide aguda T, sendo 68 provenientes do Boldrini, de Campinas (SP). A pesquisa revelou que cerca de 10% dos pacientes com leucemia linfoide aguda T possuem a mutação IL-7R. “Essa descoberta contribui para a identificação e a compreensão de um novo mecanismo, responsável pelo surgimento da leucemia infantil; a curto prazo, essa mutação poderá ser usada como um novo alvo para o desenvolvimento de drogas específicas para o tratamento da leucemia infantil”, afirma Priscila.

Para Priscila, esse reconhecimento tem relevante importância para a sua carreira científica. “O meu objetivo é seguir a carreira de pesquisa, como professora em uma universidade pública ou em um centro de pesquisa. Para isso, tenho de enfrentar a competitividade e atender a exigências de artigos publicados, experiência em pesquisa e didática, colaborações com pesquisadores nacionais e internacionais, etc. Esse reconhecimento da Capes no currículo, somado a oportunidade de mais 3 anos de pós-doc ofertado pelo prêmio, contribuirá de forma significativa para atingir a minha meta. Também tenho planos de desenvolver parte da minha pesquisa no exterior, o que será certamente possível com o prêmio.”

Para o orientador José Andrés Yunes, essa premiação revela a qualidade da pós-graduação em Genética e Biologia Molecular do IB, Unicamp. “Embora seja uma instituição de referência nacional para o tratamento do câncer pediátrico, a pesquisa básica realizada no Centro Boldrini ainda tem muito que avançar e, para isso, a parceria com o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) tem sido de fundamental importância. O prêmio Capes é muito animador para nós e mais um motivo de agradecimento a todos nossos colaboradores”.

Priscila Pini Zenatti possui graduação em Ciências Biológicas e Mestrado em Genética e Evolução pela UFSCar, Doutorado em Genética Biologia Molecular pela Unicamp. No doutorado estudou mutações no IL-7R em LLA-T, realizando parte do estudo na Faculdade de Medicina de Lisboa e no National Institute of Health (USA). Atualmente, é pós-doutoranda no Centro Infantil Boldrini e Laboratório Nacional de Biociências em um projeto intitulado “Desenvolvimento de anticorpos monoclonais terapêuticos contra o homodímero IL-7R mutante da LLA”.

BOLDRINI

O Centro Infantil Boldrini há 35 anos atua no cuidado de crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas. Atualmente, o Boldrini trata cerca de 7 mil pacientes de diversas cidades brasileiras e alguns de países da América Latina, a maioria (80%) pelo SUS. É considerado um dos centros mais avançados do país, que reúne alta tecnologia em diagnóstico e tratamento especializado, com índice de cura de 70% a 80% em alguns tipos de câncer.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone