Museu científico ganha prêmio latino-americano de popularização da C&T

Publicado em 04/06/2009

04/06/2009 – Portal MCT

Criatividade, originalidade, rigor, impacto, contribuição nacional e internacional, foram as características desenvolvidas pela NanoAventura, um projeto do Museu Exploratório de Ciências da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no biênio 2007/2008, para a obtenção do prêmio de Melhor Projeto de Popularização da Ciência e da Tecnologia da América Latina e Caribe.

A escolha foi anunciada na 11ª Reunião da Red-Pop, realizada em Montevidéu, no Paraguai, de 26 a 29 de maio último. O Museu da Unicamp garantiu ainda a escolha para sediar a reunião em 2011.

Trata-se do maior reconhecimento latino-americano a um determinado centro ou instituição, que estejam voltados para a disseminação da Ciência e da Tecnologia e da sua popularização como um todo. “É uma forma concreta de reconhecer o impulso que a NanoAventura representou para o Museu, a partir do trabalho criativo, de uma grande equipe engajada. Um projeto que cresceu e que passou a atender milhares de jovens anualmente”, disse Adriana Vitorino, diretora educacional do Museu.

Desenvolvida por uma equipe de pesquisadores da Unicamp e do Laboratório Nacional de Luz Síncontron (LNLS/MCT), em parceria com o Instituto Sangari, a NanoAventura trabalha de forma lúdica e interativa, por meio de diversas mídias, o mundo da nanociência e da nanotecnologia.

Do lançamento, em março 2005, até maio último, a exposição já recebeu mais de 30 mil pessoas, principalmente professores e estudantes da rede pública de ensino. Entre 2007 e 2008, o patrocínio da iniciativa privada permitiu o acesso de 8147 estudantes de escolas públicas e instituições não-governamentais.

Criada em novembro de 1990, no Rio de Janeiro, na reunião da Unesco para Ciência, Tecnologia e Sociedade, a Red-Pop nasce com o objetivo de estabelecer, por meio de uma sólida rede de contatos, o fortalecimento, o intercâmbio e a cooperação mútua, entre centros e programas de popularização e divulgação do conhecimento científico e tecnológico.

Hoje, a organização tem mais de 40 membros, de 11 países da América Latina e do Caribe, que se reúnem a cada dois anos, para discutir e aprovar ações mútuas que beneficiarão a difusão dos projetos, por elas, desenvolvidos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone