Ministro reforça que o Sirius será importante para desenvolver a ciência brasileira

Publicado em 10/07/2017
MCTIC em 07/07/2017

LINKhttp://www.mcti.gov.br/pagina-noticia/-/asset_publisher/IqV53KMvD5rY/content/ministro-reforca-que-o-sirius-sera-importante-para-desenvolver-a-ciencia-brasileira;jsessionid=F5277305682EB950D917EB9E8323D833.rima?p_p_auth=IS75Drzl&_101_INSTANCE_IqV53KMvD5rY_redirect=%2F

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, reforçou a importância do projeto Sirius para o desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil. Ele participou, nesta sexta-feira (7), das comemorações pelos 30 anos da inauguração do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), no campus do Centro Nacional de Pesquisa em Energias e Materiais (CNPEM).

“O Sirius é um projeto fundamental para o governo brasileiro e temos convicção da necessidade de criarmos oportunidades para as gerações que estão chegando”, afirmou o titular do MCTIC.

O Sirius será a nova fonte brasileira de luz sincrotron. Em construção no LNLS, ele será um dos primeiros anéis de armazenamento síncrotron de quartageração do planeta e está sendo desenvolvido para ter o maior brilho dentre os equipamentos na sua classe de energia. O projeto deve abrir novas perspectivas de pesquisa em áreas como ciência dos materiais, nanotecnologia, biotecnologia, física e ciências ambientais. Com 500 metros de circunferência, será a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no Brasil.

Além disso, a estrutura deve contribuir para a internacionalização da ciência brasileira por meio do aumento da presença de estrangeiros entre os usuários do laboratório. Para o diretor do LNLS, Antonio José Roque, porém, o grande destaque do projeto é a intensa participação da indústria nacional na construção do Sirius.

“O Sirius vai ter um impacto enorme para o país do ponto de vista da alta tecnologia. Estamos desenvolvendo produtos que não existem em nenhum lugar hoje, treinando pessoas altamente qualificadas, e estamos conseguindo alcançar essa alta tecnologia envolvendo as empresas nacionais, com 85% de nacionalização dos componentes. Eu não conheço nenhum projeto de alta tecnologia na história do país que conseguiu atingir esse índice de nacionalização”, disse o diretor do LNLS.

O ministro Kassab também enfatizou a dedicação dos pesquisadores brasileiros para o desenvolvimento da ciência no país. Para ele, um dos principais exemplos da qualidade da pesquisa feita no Brasil é o LNLS.

“São pessoas diferenciadas, que passam horas das suas vidas dedicadas a um Brasil melhor”, disse Kassab.

Atualmente, o laboratório conta com 17 estações experimentais, chamadas linhas de luz, que permitem a realização de testes com diversas técnicas de análise microscópica da matéria. Por ano, 1,2 mil cientistas trabalham no local, em cerca de 400 pesquisas.

Esforço conjunto

Kassab afirmou ainda que é preciso destinar mais recursos orçamentários para a pesquisa e inovação no Brasil e convencer a iniciativa privada de que esse é o caminho para o país voltar a crescer. “Precisamos colocar mais recursos públicos e induzir a iniciativa privada a investir mais, porque é com esse comportamento que vamos acreditar no futuro do Brasil.”

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone