Ministro Kassab pede em Campinas que comunidade científica ‘lute’ por mais verbas

Publicado em 15/07/2017
G1 em 07/07/2017

LINKhttp://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/ministro-afirma-que-verba-para-novo-acelerador-de-particulas-em-campinas-sera-mantida.ghtml

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, esteve nesta sexta-feira (7) em Campinas (SP) para as comemorações dos 30 anos do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), o primeiro acelerador de partículas do Hemisfério Sul. No evento, o ministro convocou a comunidade científica a utilizar meios de comunicação e pressionar o Congresso e o próprio governo para conseguir verbas para sua pasta.

“O Brasil tem uma nova lei, muito dura, draconiana. Agora existe uma Lei do Teto e temos que disputar receitas na horizontal com os ministérios da Saúde, da Cultura, dos Esportes, dos Portos, da Integração, do Transporte. Essa Lei do Teto nos obriga a lutar por esses recursos dentro do Congresso Nacional, em manifestações públicas e nos meios de comunicação, aproveitando a facilidade que a comunidade científica tem de ser ouvida por conta da sua imensa credibilidade. Não deixem de fazer isso, não deixem de lutar por mais recursos”, afirmou.

Kassab disse que foi por causa das manifestações públicas e protestos de cientistas em todo o país nos últimos meses que o presidente Temer e o equipe econômica mantiveram investimentos estratégicos para o país.

“Vamos nos esforçar para que nosso ministério não tenha cortes. No ano passado foi muito positivo, fechamos o ano sem contas a pagar e com os projetos em andamento. O presidente e a equipe econômica entenderam a importância da área e foram sensibilizados com as manifestações em todos os cantos do Brasil pedindo tratamento diferenciado à área”, disse.

Como exemplo, ele afirmou que o LNLS e o Sirius, um novo acelerador que está sendo construído no mesmo campus, são os únicos grandes projetos de todos os ministérios até o momento que não sofreram cortes orçamentários e têm verbas garantidas até 2018.

Segundo Kassab, a liberação das verbas para manutenção do LNLS em 2017 e término do Sirius foi garantida junto ao Ministério do Planejamento. O diretor do LNLS, Antônio José Roque da Silva, disse que as obras estão dentro do cronograma e a previsão de inauguração do Sirius continua sendo junho de 2018.

História

O LNLS começou a ser construído em julho de 1987, sendo que em 1996 foi realizada a primeira volta de elétrons do acelerador, disponibilizado aos cientistas no ano seguinte. A luz síncrotron gerada pelo LNLS e que será utilizada no Sirius em Campinas é um tipo de radiação muito brilhante gerada após a aceleração de partículas de elétrons.

 Esses elétrons são mandados para um compartimento tubular circular com vácuo semelhante ao encontrado no espaço. A trajetória dos elétrons, para seguir essa tubulação circular, é desviada com a ajuda de eletroímãs que atuam nas partículas quando elas estão muito próximas da velocidade da luz.

Elas chegam a 99,9999999% dessa velocidade quando são desviadas e acabam gerando a chamada luz sincrotron. Essa luz é capaz de atravessar materiais, revelando suas propriedades químicas e estruturais.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone