Metade dos projetos na SMOLBnet 2.0 é do LNBio

Publicado em 25/01/2011

Quatro das oito propostas aprovadas na chamada da Rede de Biologia Estrutural em Tópicos Avançados de Ciências da Vida – SMOLBnet 2.0 foram submetidas por pesquisadores do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio). A Rede é um programa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) criado para promover parcerias entre grupos de pesquisa em biologia estrutural com experiência na resolução de estrutura de macromoléculas por cristalografia com raios-X ou ressonância magnética nuclear, e grupos de área molecular, com expertise em bioquímica, biofísica, enzimologia e/ou biologia celular e molecular.

O pesquisador do LNBio Andre Luis Berteli Ambrosio é responsável por dois projetos selecionados: um Auxílio Regular e uma Bolsa de Pós-doutorado. Ambos estão relacionados a estudos estruturais de proteínas-chave para as doenças fúngicas do cacau – vassoura de bruxa e monilíase –, desenvolvimento de estratégias de controle e entendimento de modelos de patogenicidade da doença que compromete a produção da fruta. Ambrosio e duas pesquisadoras do LNBio, Sandra Dias e Ana Zeri, compõem o braço estrutural do projeto que combinará cristalografia e ressonância magnética nuclear. Já o estudo bioquímico das proteínas de interesse, possíveis alvos para combater o fungo, será comandado pelo Prof. Gonçalo Pereira (LNBio/Unicamp) em conjunto com Jorge Mondego, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC).

“Uma vez determinadas as estruturas e definidos os mecanismos de ação, passaremos à identificação e ao desenho racional de moléculas para inibição da ação dessas proteínas. Contaremos com o apoio dos Prof. Rafael Guido (IFSC/USP  – São Carlos) e Ronaldo Pilli (Unicamp) na parte de identificação e síntese de pequenas moléculas”, explica Ambrosio. Os projetos envolverão ainda, alguns alunos de mestrado, doutorado e iniciação científica.

Câncer e doenças tropicais negligenciadas causadas por tripanossomatídeos são o tema de outro projeto do LNBio contemplado com Auxílio Regular da FAPESP. Para o desenvolvimento de novos inibidores, o grupo coordenado por Jorg Kobarg colaborará com o grupo de Mario Murakami na biologia molecular e celular e nos bioensaios das proteínas quinases de parasitas. Já o grupo de Murakami contribuirá com o de Jorg na biologia estrutural de 11 NEK quinases humanas, como por exemplo a NEK6 relacionada ao câncer de estômago. Já trabalham nessa pesquisa dois pós-doutorandos e mais dois estão previstos.

Murakami é também o responsável pelo projeto sobre fungos filamentosos Aspergillus, de importância biotecnológica, também selecionado para receber Auxílio Regular no âmbito do SMOLBnet 2.0. Esses fungos são grandes produtores de enzimas glicosídicas empregadas na produção de bioetanol. Murakami lidera a abordagem estrutural, que compreenderá estudos de estabilidade química e térmica, determinação da estrutura 3D e engenharia de proteínas. Na parte molecular, a parceria é com pesquisadores do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), que integra o CNPEM, e o Prof. Gustavo Goldman, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP em Ribeirão Preto.

A pesquisadora Ana Zeri, do LNBio, vai colaborar na parte estrutural do projeto que combina genética e ressonância magnética nuclear para dissecar interações proteína-proteína, fundamentais para o funcionamento do complexo de divisão bacteriana. O responsável é Frederico José Gueiros Filho, do Instituto de Química da USP, que fará a pesquisa molecular em genética. Estudos sobre divisão bacteriana visa chegar a novos antibióticos.

Ao todo, o valor concedido às oito propostas foi de R$ 2,92 milhões, compreendendo Auxílio à Pesquisa – Regular e Projeto Temático, Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes e Bolsas de Doutorado Direto e de Pós-Doutorado.

Os requisitos para aprovação foram: promover a associação de grupos de biologia estrutural e biologia molecular e celular para responder perguntas relevantes na área; disseminar o uso de abordagens em biologia estrutural (cristalografia por raios X, ressonância magnética nuclear, difração de raios X em baixo ângulo e criomicroscopia eletrônica de partículas isoladas) no Estado de São Paulo; e contribuir para a formação e/ou o treinamento de jovens pesquisadores.

A chamada divulgada em maio aceitou inscrições até setembro. Em junho houve um workshop de lançamento do programa no LNBio. O workshop foi organizado por um grupo de pesquisadores das áreas de biologia molecular e estrutural do Estado de São Paulo e teve a participação da FAPESP na discussão com a comunidade científica sobre as linhas do programa.

Confira a lista completa divulgada pela FAPESP.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone