Gerenciando a tecnologia de ponta

Publicado em 10/08/2012
Especial: CENÁRIOS tecnologia (Campinas: capital da tecnologia) do Correio Popular, em 10/08/2012

Dentre os grandes centros, é preciso mencionar a Companhia de Desenvolvimento do Polo de Alta Tecnologia de Campinas (Ciatec), referência na área de tecnologia fixada em solo campineiro. Com estrutura industrial complexa, diversificada e dinâmica, ela possui um forte componente nas áreas de tecnologia industrial de ponta. Seu objetivo central, desde quanto foi criada, em 1985 e após sua transformação em empresa de economia mista, em 1991, é a gestão do Parque Tecnológico de Campinas.

Atualmente, está instalada em seu prédio modulado, que abriga “startups” e projetos de empreendimentos de cunho tecnológico.  As empresas participantes desse projeto cozam de facilidades, como a de compartilhar toda a infraestrutura operacional ali disponibilizada. Essa estrutura operacional montada é conhecida como “Incubadora de Empresas”. O NADE é reconhecido como uma Incubadora de Base Tecnológica devido às suas características é um exemplo dessas startups.

Além da Ciatec, vale ressaltar a importância dos principais centros de inovação, pesquisa e tecnologia, como o CNPEM, o Instituto Eldorado e a Fundação CPqD, instalados nos Parques Tecnológicos de Campinas. Em espaços como estes se concentram profissionais altamente capacitados e com grande conhecimento. Lá são desenvolvidos projetos que, muitas vezes, são exportados mundo afora. Um exemplo da eficiência dos produtos ali produzidos é a fibra ótica utilizada no Brasil, material que foi inteiramente desenvolvido no CPqD.

Entre os institutos de pesquisa destacam-se além dessa última, o Instituto Nacional para Tecnologia da Informação (ITI), a Fundação Nacional de Pesquisa Tecnológica, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), o Instituto Tecnológico para Alimentos (ITAL), a Cargill Agrícola, o Instituto Eldorado, a PST Eletrônica e a Softex.

Tratam-se de instituições com grande atuação na geração de tecnologia industrial e de serviços que prestam relevantes e expressivas contribuições ao País e que estão fixadas em solo campineiro, prova do potencial do município no segmento. Esse sistema científico-tecnológico é responsável por elevada concentração de recursos humanos altamente qualificados na região, principalmente em Campinas.

O resultado desse conjunto de conhecimento e princípios científicos é a geração de empreendimentos empresariais de base tecnológica, responsáveis por atração de mais investimentos e criação de mais empregos e benefícios, especialmente, em um raio entorno dessas companhias. Por ter uma geografia privilegiada, por possuir um poderoso sistema de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e grande concentração de empresas e indústrias de tecnologia de ponta, instituições como a Ciatec proporcionam alto nível de sucesso em retorno para seus investidores.

Em números, a taxa de sucesso das empresas incubadas na Ciatec, hoje é de 97% segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e Social, José Afonso da Costa Bittenncourt. Das 500 empresas multinacionais do País, 37 estão instaladas em Campinas. Ao longo de sua história, a Ciatec e seu Parque Tecnológico geraram para Campinas aproximadamente 5 mil vagas de empregos diretos e indiretos.

Somente por sediar esse polo Campinas viu ser aplicado um capital de US$ 800 milhões nos últimos anos em investimentos na cidade. Outros mais virão e, entre eles, está previsto o planejamento e a execução de uma política de ciência e tecnologia da região. A ampliação da área existente para atração de empresas também está nesse plano, o que representa mais investimentos, empregos e benefícios para a população e desenvolvimento para o município.

Dr. Luiz Carlos Rocha Gaspar
Presidente da Ciatec

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone