Formado Comitê de Busca para diretor do CNPEM

Publicado em 03/02/2010

03/02/2010 – Portal MCT

A criação do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas (SP), instituição que sucede a Associação Brasileira de Luz Síncrotron (ABTLuS), foi anunciada no final do mês passado, em solenidade que teve a participação do presidente Lula e do ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende.

O Centro nasceu para congregar e dar uma coordenação geral ao complexo de Laboratórios Nacionais mantido pelo governo Federal em Campinas, otimizando assim, esforços e recursos. Dele fazem parte os laboratórios nacionais de Luz Síncrotron (LNLS/MCT), o recém-inaugurado de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) e o de Biociências (LNBio).

Os trabalhos do Comitê de Busca para o cargo de diretor geral do CNPEM já começaram. Ele é formado por Rogério Cezar de Cerqueira Leite, presidente do Conselho de Administração do CNPEM e do Comitê de Busca; por Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp); por Celso Pinto de Melo, presidente da Sociedade Brasileira de Física (SBF) e professor associado do Departamento de Física da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); por João Evangelista Steiner, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP) e por Pedro Wongtschowski, empresário e membro do Conselho de Administração do CNPEM.

Os interessados devem enviar currículos para Rui Henrique Pereira Leite de Albuquerque, secretário executivo do Comitê de Busca, pelo e-mail  albuq@abtlus.org.br. Não há data limite para o envio dos CVs e as entrevistas começam a partir do próximo dia 15.

Laboratórios Nacionais

O complexo científico CNPEM começou a ser formado na década de 1980, quando da construção da primeira Fonte de Luz Síncrotron do Hemisfério Sul. Após 10 anos de obras e comissionamento de equipamentos, em 1997 o LNLS passou a receber estudiosos de todo o mundo. Hoje, além dos pesquisadores e pesquisas próprias, o Síncrotron recebe mais de 1.500 cientistas/ano, que realizam mais de 400 pesquisas e publicam mais de 250 artigos por ano em revistas científicas indexadas.

Com a criação do CTBE e do LNBio – antigo Centro de Biologia Molecular Estrutural (CeBiME) – o complexo se prepara para potencializar a Ciência e a Tecnologia feitas no Brasil em direção a ações inovativas, sendo um elo entre a academia e a indústria e se consolidando como centro  estratégico para o País.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone