Fim do auxílio-moradia compensará impacto financeiro do aumento do judiciário, diz Marun

Publicado em 22/11/2018
G1, 08/11/2018

Em visita ao projeto Sirius, em Campinas (SP), ministro da Secretaria de Governo sinalizou que reajuste de 16,38% nos salários dos integrantes do STF será aprovado pelo presidente Michel Temer.

Ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun fez uma visita técnica ao Sirius, em Campinas (SP) — Foto: Gustavo Porto/EPTV

Ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun fez uma visita técnica ao Sirius, em Campinas (SP) — Foto: Gustavo Porto/EPTV

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse nesta quinta-feira (8), em Campinas (SP), que o fim do auxílio-moradia compensará o impacto financeiro do reajuste de 16,38% nos salários dos ministros do Superior Tribunal Federal (STF) aprovado pelo Senado na quarta.

legalidade do benefício pago aos magistrados será julgada pelo Supremo, e a eventual extinção do auxílio é uma das alternativas para reduzir o impacto do reajuste aprovado pelo Congresso – de R$ 33,7 mil para mais de R$ 39 mil.

“Os primeiros cálculos dão conta de que com o compromisso do fim desse o fim do auxílio-moradia, que na verdade é um salário disfarçado, com esse compromisso o impacto financeiro é compensado”, afirmou Marun.

O ministro ainda explicou que a mudança traria um ganho para o governo, uma vez que sobre os salários incidem tributos e impostos, o que não ocorre em relação ao auxílio-moradia. Por fim, Marun sinalizou que o governo, apesar do poder de veto, deve respeitar as vontades do Legislativo e Judiciário.

“Claro que teríamos o poder de vetar. O governo vai examinar, mas eu entendo que o Executivo vai respeitar as vontades do Legislativo e do Judiciário.”

Obras do laboratório Sirius no CNPEM, em Campinas — Foto: Renan Picoretti/CNPEM/LNLSObras do laboratório Sirius no CNPEM, em Campinas — Foto: Renan Picoretti/CNPEM/LNLS

Obras do laboratório Sirius no CNPEM, em Campinas — Foto: Renan Picoretti/CNPEM/LNLS

Visita técnica

Marun esteve em Campinas (SP) para uma visita técnica ao projeto Sirius, laboratório de luz síncrotron de 4ª geração projetado para ser o mais avançado do mundo, orçado em mais de R$ 1,5 bilhão.

Um teste com volta de elétrons em dois dos três aceleradores que compõem o equipamento está programado para o dia 14 de novembro.

A abertura da nova fonte de luz síncrotron para pesquisadores está programada para 2019, e a conclusão total da obra, com 13 linhas operando, para 2020.

Questionado sobre a continuidade do projeto com a mudança no Executivo, Marun mostrou-se confiante do apoio no novo governo e destacou que o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019 prevê R$ 270 milhões para o Sirius.