Etanol de segunda geração vai custar menos

Publicado em 22/10/2015
Posto net em 22/10/15

O  resultado de um estudo inédito feito pelo BNDES apontou que o custo de produção do  etanol 2G – combustível de fonte limpa e renovável produzido a partir do bagaço e da palha da  cana  – ficará abaixo do de primeira geração  (1G) em cinco anos.

Segundo o gerente setorial do Departamento de Biocombustíveis da instituição, Artur Yabe  Milanez, o levantamento foi baseado em pesquisas de mercado e em entrevistas realizadas  com mais de 30 empresas e especialistas. “Observamos na pesquisa que, em curto prazo, o  potencial do etanol 2G é superior ao de primeira geração, apesar dos custos hoje ainda  estarem equilibrados quando comparados”.

Ainda de acordo com o estudo, realizado com a colaboração do Laboratório Nacional de  Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), atualmente o custo de produção do litro de etanol  1G está próximo de R$ 1,10,  enquanto o 2G,  em R$ 1,50.  Porém, com o desenvolvimento  tecnológico e biotecnológico do setor, estes valores deverão ficar  entre R$ 0,90 e R$ 0,70 e  entre R$ 0,70 e R$ 0,50,  respectivamente, até 2020.

A tecnologia também deve dobrar a quantidade de etanol 2G produzida por unidade, em  relação ao etanol  de 1ª geração,  sem que seja preciso crescer igualmente a área plantada. “O  rendimento do 2G pode chegar a 17 mil litros por hectare de cana,  contra apenas 6,9 mil  litros/ha no caso do 1G”, afirma Milanez.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone