CNPEM abre inscrições para o Programa Bolsas de Verão

Publicado em 03/10/2019
Assessoria de Comunicação em 03/10/2019

Estudantes de graduação, matriculados em instituições do Brasil ou em países da América Latina e Caribe, podem se inscrever entre os dias 4 e 14 de outubro para a 29ª edição do Programa Bolsas de Verão (PBV) do CNPEM. O Programa busca jovens com vocação para a pesquisa científica e oferece uma série de benefícios.

Os estudantes selecionados desta edição passarão os meses de janeiro e fevereiro de 2020 em Campinas, interior de São Paulo, dedicados a projetos científicos e tecnológicos, orientados por pesquisadores dos Laboratórios Nacionais do CNPEM. Todos os requisitos exigidos aos candidatos e a documentação necessária no momento da inscrição podem ser encontrados no site do Bolsas de Verão, em Português e Espanhol. Acesse: http://pages.cnpem.br/bolsasdeverao.

 

Mais sobre o CNPEM

O CNPEM é uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Localizado em Campinas-SP, abriga e gerencia quatro laboratórios que atendem à comunidade científica acadêmica e empresarial, formando um complexo multidisciplinar com estrutura e recursos humanos capazes de contribuir com importantes descobertas científicas. No Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), cientistas buscam descobrir novos fármacos a partir de moléculas naturais e saber mais sobre o desenvolvimento de doenças que afetam a sociedade; o Laboratório Nacional de Biorrenováveis (LNBR) dispõe de uma estrutura que vai de laboratório a planta-piloto, para que os pesquisadores investiguem novas formas de obter produtos a partir de biomassa, como combustíveis e outros materiais, e saibam como o projeto funcionará em grande escala; o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) serve como base de pesquisa para nanomateriais que podem ser aplicados desde a área de eletrônicos, tornando dispositivos melhores e mais eficientes, até em medicamentos, fazendo nanopartículas transportarem fármacos ao alvo de maneira mais direcionada. Além destes, há o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), responsável pelo Sirius, o novo acelerador de partículas brasileiro, de quarta geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos.