Cientistas reúnem-se em Campinas para divulgar pesquisas em escalas moleculares e atômicas

Publicado em 26/01/2009

Portal Capes, em 26/01/2009

Apresentação dos estudos realizados no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron é um dos principais objetivos da Reunião Anual dos Usuários, que acontece nos dias 9 e 10 de fevereiro

Estudos em escalas moleculares e atômicas nas mais diversas áreas, como arqueologia, medicina e citricultura serão apresentados durante a Reunião Anual de Usuários (RAU) do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), que acontece nos dias 9 e 10 de fevereiro em Campinas, São Paulo.

A reunião congrega cientistas das principais instituições de pesquisa da América Latina em um esforço de disseminação dos resultados de seus estudos científicos e de discussão tecnológica para aprimoramento da instrumentação e serviços oferecidos pelo Laboratório Nacional.

Em sua 19ª edição, a RAU também abrirá um espaço importante para os debates acerca da construção da segunda Fonte de Luz Síncrotron brasileira, o LNLS-2. O projeto será tema do workshop satélite da reunião, a ser realizado nos dias 10 e 11 de fevereiro, no próprio campus do LNLS.

Convidados internacionais
Entre os destaques da RAU de 2009 está a participação de Peter Fischer, do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, nos Estados Unidos. Fischer participa de plenária na manhã do dia 09, na qual fará uma revisão das realizações, potencialidades e aplicações futuras dos raios X moles conjugados à microscopia magnética, promissores no estudo de átomos leves com resolução espacial e temporal.

Já na terça-feira, dia 10, é a vez de outro convidado especial se apresentar. Stephan Hofmann, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, dissertará a respeito de observações in situ de nanoestruturas de catalisadores de silício e de nanotubos de carbono.

Algumas pesquisas a serem apresentadas na RAU:
– Cientistas da Universidade Federal de Alfenas e da Universidade de São Paulo se dedicam à caracterização de amostras de fármacos como o fluconazol e o mebendazol. O objetivo é compreender o papel do polimorfismo (ou seja, a habilidade da substância existir em mais de uma organização espacial) na segurança dos remédios.

– Por meio da microfluorescência de raios X e microtomografia, grupo de pesquisadores do Rio de Janeiro procura obter informações sobre a morfologia e nível dos minerais dos ossos. Com estes dados, é possível fazer o diagnóstico do osso, auxiliando no processo de entendimento e evolução de doenças como a osteoporose.

– Pesquisadores argentinos utilizam a luz síncrotron para determinar a composição química de pigmentos utilizados em pinturas de arte rupestre visando identificar variantes culturais e comportamentais dos grupos étnicos envolvidos.

– Equipe da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto trabalha na identificação de marcadores de rastreamento de grupos de risco, de diagnóstico e de prognóstico de pacientes com câncer de pulmão.

– Doença devastadora das plantações de citros, o cancro cítrico é alvo de pesquisas realizadas no CeBiME, Centro de Biologia Molecular Estrutural do LNLS, que enfocam o papel da proteína efetora PthA no desenvolvimento da doença.

Mais informações
Blog da RAU: http://raulnls.wordpress.com/
Site do LNLS: http://www.lnls.br/

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone