Ciência na Rede Social: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) atinge a marca de mil seguidores no Facebook

Publicado em 01/11/2011

Assessoria de Comunicação em 01/11/2011

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) contabilizou, no dia 28 de outubro, mil seguidores em sua página no Facebook (www.facebook.com/CNPEM).  Instalado em Campinas, o CNPEM reúne quatro laboratórios nacionais: Luz Síncrotron (LNLS), Biociências (LNBio), Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) e Nanotecnologia (LNNano).

As estatísticas não deixam dúvidas sobre o poder de repercussão das redes sociais: no último mês, as informações sobre a ciência e a tecnologia desenvolvidas nos quatro laboratórios foram expostas a mais de 24 mil pessoas. A foto do Macintosh iPlus 1MB – utilizado por pesquisadores do LNLS em 1986 -, postada logo depois da morte de Steve Jobs, foi o grande destaque do período. Mas também foram sucesso de público – com direito a comentários e compartilhamentos – o estudo molecular e estrutural de uma família de proteínas-cinases envolvidas na progressão do ciclo celular, realizado pelo LNBio; reportagem sobre a utilização de Luz Síncrotron na paleontologia e em investigações sobre a química das tintas utilizadas por artistas como Vincent van Gogh, um dos temas do 21º Congresso Internacional de Óptica de Raios X e Microanálise, realizado pelo LNLS em setembro; e o anúncio da abertura de inscrições para o IV Curso Teórico-Prático de Microscopia Eletrônica de Transmissão do LNNano . Todas as notícias postadas no Facebook remetem para os sites dos laboratórios nacionais e do CNPEM, aumentando o tráfego nessas páginas.

Os seguidores do CNPEM têm entre 18 e 34 anos. A maioria é formada por estudantes de graduação, pós-graduação e pesquisadores brasileiros (906), sendo também significativa a participação de latino-americanos. Grande parte dos acessos tem origem em São Paulo (Capital e Campinas), seguido do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco e Salvador. As informações publicadas no mural (página inicial do Facebook) registram o maior tráfego (1046 entre 26 de setembro e 25 de outubro), mas é bastante significativo o número de pessoas que buscam informações sobre o CNPEM (985 no mesmo período) e oportunidades de trabalho (60).

A página no CNPEM no Facebook foi criada em março de 2011 pela Assessoria de Comunicação, em caráter piloto, com postagem de três notícias semanais, em média. O número de acessos cresceu exponencialmente a partir de julho quando o CNPEM integrou os programas de Estágios e Bolsas de Verão à rede social.

Ao longo desse período, o Facebook se mostrou um canal importante também para a divulgação de pesquisas, desenvolvimento de tecnologias, seminários, workshops, cursos, entre outras atividades promovidas pelos quatro laboratórios nacionais. A ACO, agora, está procurando integrar à página do Facebook o programa semanal de visitas ao CNPEM – voltada para alunos do Ensino Médio. Até o final do ano, será feita uma avaliação mais detalhada da atuação do CNPEM na rede social para subsidiar futuro projeto de institucionalização do uso do Facebook na divulgação de ciência.