Ciência na Rede Social: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) atinge a marca de mil seguidores no Facebook

Publicado em 01/11/2011

Assessoria de Comunicação em 01/11/2011

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) contabilizou, no dia 28 de outubro, mil seguidores em sua página no Facebook (www.facebook.com/CNPEM).  Instalado em Campinas, o CNPEM reúne quatro laboratórios nacionais: Luz Síncrotron (LNLS), Biociências (LNBio), Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) e Nanotecnologia (LNNano).

As estatísticas não deixam dúvidas sobre o poder de repercussão das redes sociais: no último mês, as informações sobre a ciência e a tecnologia desenvolvidas nos quatro laboratórios foram expostas a mais de 24 mil pessoas. A foto do Macintosh iPlus 1MB – utilizado por pesquisadores do LNLS em 1986 -, postada logo depois da morte de Steve Jobs, foi o grande destaque do período. Mas também foram sucesso de público – com direito a comentários e compartilhamentos – o estudo molecular e estrutural de uma família de proteínas-cinases envolvidas na progressão do ciclo celular, realizado pelo LNBio; reportagem sobre a utilização de Luz Síncrotron na paleontologia e em investigações sobre a química das tintas utilizadas por artistas como Vincent van Gogh, um dos temas do 21º Congresso Internacional de Óptica de Raios X e Microanálise, realizado pelo LNLS em setembro; e o anúncio da abertura de inscrições para o IV Curso Teórico-Prático de Microscopia Eletrônica de Transmissão do LNNano . Todas as notícias postadas no Facebook remetem para os sites dos laboratórios nacionais e do CNPEM, aumentando o tráfego nessas páginas.

Os seguidores do CNPEM têm entre 18 e 34 anos. A maioria é formada por estudantes de graduação, pós-graduação e pesquisadores brasileiros (906), sendo também significativa a participação de latino-americanos. Grande parte dos acessos tem origem em São Paulo (Capital e Campinas), seguido do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco e Salvador. As informações publicadas no mural (página inicial do Facebook) registram o maior tráfego (1046 entre 26 de setembro e 25 de outubro), mas é bastante significativo o número de pessoas que buscam informações sobre o CNPEM (985 no mesmo período) e oportunidades de trabalho (60).

A página no CNPEM no Facebook foi criada em março de 2011 pela Assessoria de Comunicação, em caráter piloto, com postagem de três notícias semanais, em média. O número de acessos cresceu exponencialmente a partir de julho quando o CNPEM integrou os programas de Estágios e Bolsas de Verão à rede social.

Ao longo desse período, o Facebook se mostrou um canal importante também para a divulgação de pesquisas, desenvolvimento de tecnologias, seminários, workshops, cursos, entre outras atividades promovidas pelos quatro laboratórios nacionais. A ACO, agora, está procurando integrar à página do Facebook o programa semanal de visitas ao CNPEM – voltada para alunos do Ensino Médio. Até o final do ano, será feita uma avaliação mais detalhada da atuação do CNPEM na rede social para subsidiar futuro projeto de institucionalização do uso do Facebook na divulgação de ciência.


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone