Árvores no Campus

Publicado em 27/07/2010
CTBE implanta projeto paisagístico nos arredores de suas instalações. Espécies escolhidas são comuns à flora brasileira

Assessoria de Comunicação, em 27/07/2010

Quem visita o campus do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), tende a se impressionar com a beleza da vegetação local. Formado em sua maioria por plantas originárias de biomas brasileiros, incluindo algumas raridades, o projeto paisagístico é uma a atração a mais para os usuários e visitantes dos Laboratórios Nacionais que integram o CNPEM. A exceção a esta regra era, até pouco tempo, a área ocupada pelo recém-construído Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE).

Nos meses de junho e julho deste ano teve início a implantação do projeto de arborização dos arredores das instalações do CTBE. Cerca de 120 mudas foram plantadas nas alamedas de acesso ao edifício principal e estacionamentos. Uma segunda etapa do projeto está programada para ocorrer em setembro, onde arbustos serão introduzidos em torno do edifício principal do Laboratório.

A gestora de finanças do CTBE Glória Pinho, uma das envolvidas na iniciativa, conta que a seleção de espécies vegetais respeitou determinados critérios. Como boa parte da área é cortada por tubulações subterrâneas, apenas plantas de pequeno e médio porte integraram o projeto. “Selecionamos árvores comuns à flora brasileira, com floração abundante e crescimento acelerado. Boa parte das mudas deve atingir uma estatura considerável dentro de três anos”, explica Pinho.

A alameda de acesso ao CTBE foi arborizada com palmeiras jerivá. Já a região que abriga o estacionamento do Laboratório recebeu unidades de resedá rosa, munguba, quaresmeira roxa e rosa, cássia aleluia, manacá da serra, ipê rosa e branco e pau ferro. Cada região arborizada contará com mudas de apenas uma dessas espécies. Não se verá ipês em meio à mungubas.

Pinho conta que, mudas de palmeira buriti deveriam fazer parte da proposta, mas nenhum fornecedor dentre os procurados dispunha desta planta. “Gostaríamos de ter esta palmeira no CTBE em homenagem a Hermes Moreira de Souza, que por muito tempo desejou tal espécie na região. Atualmente com 92 anos, Hermes foi o responsável pela arborização do restante do campus do CNPEM.

A última muda desta primeira fase do projeto de arborização do CTBE foi plantada pelo diretor do Laboratório, Marco Aurélio Pinheiro Lima, no último dia 12. A espécie sapucaia, ou cabeça-de-macaco como também é conhecida, pode chegar a 50 metros de altura e foi escolhida por Lima.

O projeto de arborização custou cerca de R$ 5.500 e contou com a participação de Glória Pinho, Simone Godoi, Geraldo Ferreira Mendes, Meire Lucia Ferreira Picoli, Sergio Pirassol Serrano, Deyse Paiva de Oliveira e representantes da empresa Isoclean.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone