Aluna Esamc realiza Iniciação Científica no CNPEM

Publicado em 29/09/2016
Examc em 23/09/2016

LINKhttp://www.esamc.br/noticias/index/8984

Nesta semana, decidimos entrevistar a aluna Beatriz Santos que cursa o 8º semestre de Engenharia Química na Esamc, em virtude da sua Iniciação Científica no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). A mesma, é orientada pela Dra. Ana Carolina Migliorini Figueira, formada em ciências biológicas pela UFSCar, com doutorado em Fisica biomolecular no IFSC-USP e pós doutorado na University of Hounston, que trabalha no centro há 6 anos.

A mesma possui um projeto no Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), que tem como objetivo entender melhor os mecanismos de função de receptores nucleares, principalmente investigando a modulação da ativação e repressão destas proteínas. Entre os principais receptores estudados pelo grupo de pesquisa são o receptor de hormônios tireoidianos (TR) e o receptor ativador de proliferação de peroxissomos (PPAR), ambos estão diretamente ligados ao desenvolvimento de obesidade e doenças metabólicas, como diabetes e cardiopatias.

O projeto da aluna Beatriz Santos é focado em estudar a formação de complexos de receptores nucleares, especialmente do TR (Hormônio Tiroidiano) com outras biomoléculas, como a proteína coativador GRIP, para melhor entendimento de como a formação deste complexo pode afetar a ativação do receptor, buscando sua modulação.

A Iniciação Científica é uma nova area em que os alunos de graduação podem atuar, sendo ela, voltada para a pesquisa e inovação, com o desenvolvimento de projetos orientados.

Para entender um pouco dessa area, foram feitas algumas perguntas para a aluna, e abaixo segue nossa entrevista na íntegra:

1- O que é o CNPEM?

É o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Localizado em Campinas, possui quatro laboratórios referências mundiais, sendo eles: Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS),Laboratório Nacional de Biociências (LNBio),  Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE), e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano). Em seus diversos eixos de atuação, o CNPEM está voltado ao atendimento a usuários externos por meio de suas instalações abertas; pesquisa e desenvolvimento interno; apoio à geração de inovação; e, por fim, educação, treinamento e extensão.

2- O que é uma iniciação científica? Ela é remunerada?

É um programa de treinamento, similar a um estágio, onde o aluno de graduação dá início na area de pesquisa, desenvolvendo um projeto orientado por um profissional da area de pesquisa e desenvolvimento. A iniciação pode ser remunerada ou não.

3- Quais são suas atividades?

Atividades laboratoriais, realização de experimentos, confecção de relatórios, e auxílio para outros alunos de mestrado e doutorado nos projetos de pesquisa. Além disso, desenvolvo um projeto de produção e caracterização de receptores nucleares, que visa estudos de interação com outras biomoléculas.

4- Como foi feita a escolha do tema do projeto?

Existem duas opções: a primeira é quando o próprio aluno tem já algum projeto em mente, e encontra um orientador que aceite desenvolver o mesmo.

O mais comum é a outra opção, na qual o orientador, através das suas linhas de pesquisa, propõe projetos relacionados a temas referentes a esta linha de pesquisa, que é desenvolvida por meio de projetos de iniciação cientifica, mestrado e doutorado que ele orienta, ou mesmo de linhas advindas das necessidades do laboratório naquele momento.

5- Qual nível de reconhecimento que se busca na iniciação científica? Vocês participam de seminários ou congressos?

O aluno começa a adquirir experiência no meio científico, da mesma maneira que um mestrando e doutorando, porém em um nível mais básico.

Sim, uma vez por semana o IC (aluno de iniciação científica) participa de reuniões para conhecer projetos que estão em andamento de outros grupos de pesquisa do centro. Além disso, bolsistas PIBIC apresentam seus projetos em congressos de Iniciação cientifica.

6- Qual é a evolução de um aluno de iniciação científica pensando profissionalmente?

Pode se dizer que a iniciação científica é um passo inicial para um futuro mestrado, doutorado e pós-doutorado.

Além disso, empresas que tem o setor de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) tem muito interesse em alunos que desenvolveram projetos de iniciação científica.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone