Homenagem da SBQ e do JBCS ao Professor Fernando Galembeck no seu Aniversário de 70 Anos

Publicado em 18/04/2013

Jornal da Ciência, em 17/04/2013

Editorial publicado no ‘Journal of the Brazilian Chemical Society’

Como parte das homenagens que a Sociedade Brasileira de Química, SBQ, está fazendo ao Professor Fernando Galembeck, na passagem do seu 70º aniversário, pela sua expressiva contribuição à Química e à SBQ, a Diretoria e Conselho da SBQ, em conjunto com os Editores do Journal of the Brazilian Chemical Society decidiram editar este Número Especial do JBCS dedicado ao Professor Galembeck.

Chegar aos setenta anos em plena atividade, com prestígio entre as comunidades acadêmica, científica e empresarial do Brasil e do exterior, além do respeito das agências governamentais, como chegou o Professor Fernando Galembeck, é um feito que poucos cientistas brasileiros alcançaram.

Graduado (1964) e Doutor (1970) em Química pela Universidade de São Paulo, Fernando Galembeck realizou seu pós-doutorado nas Universidades do Colorado (1972-3) e da Califórnia (Davis, 1974). Professor Titular da Universidade Estadual de Campinas até sua aposentadoria lecionou as disciplinas de Colóides e Superfícies, Polímeros, Química Aplicada, Físico-Química, Química Geral e Microscopia. Iniciou suas atividades de pesquisa com Ney Galvão da Silva, na Laborterápica-Bristol, com Eline Prado, na Escola Paulista de Medicina, e com Simão Mathias, na USP, onde realizou o doutorado sob a orientação do professor e pesquisador polonês Pawel Krumholz, um dos proprietários e diretor industrial da Orquima, uma inovadora empresa do setor Químico nos anos 1940-1960.

O Professor Galembeck enveredou, após o seu doutorado, por novas linhas de pesquisa, entre as quais Biofísico-Química, Colóides e Superfícies e publicou, em 1978, seu primeiro trabalho sobre nanopartículas. Seu grupo é referência mundial em microscopia analítica. Os seus trabalhos mais recentes tratam de problemas de superfícies de polímeros, adesão e molhabilidade, interações entre partículas coloidais e nanopartículas, formação e propriedades de nanocompósitos, propriedades de sólidos não-cristalinos e mecanismos de eletrização de isolantes. Com contribuições metodológicas importantes em técnicas de separação baseadas em membranas, em microscopias analítica, eletrônica e de sonda e em mapeamento de cargas elétricas em isolantes, vários dos ex-colaboradores de Galembeck são professores destacados em universidades brasileiras ou pesquisadores em empresas industriais. Das teses que orientou, uma recebeu o prêmio Carl Marvel e outra, o prêmio CAPES.

O Professor Galembeck depositou 18 patentes, das quais sete foram licenciadas. Três produtos baseados nessas patentes foram lançados no mercado e vários dos seus projetos com empresas tratam, principalmente, da criação e desenvolvimento de novos materiais avançados e de processos de fabricação.

O Professor Fernando Galembeck foi Vice-presidente e Presidente da SBQ, coordenador-geral (Vice-reitor) da UNICAMP, Secretário-geral da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Diretor da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e, por diversas vezes, membro do Conselho Consultivo da SBQ. Além disso, exerceu funções dirigentes ou de assessoria e planejamento no Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Coordenação de Pessoal de Aperfeiçoamento de Ensino Superior (CAPES), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e de consultoria em várias empresas. Ele participou da concepção, elaboração e implementação do PADCT como coordenador do grupo de Química e Engenharia Química e, depois, como membro do Grupo Especial de Acompanhamento, programa que revolucionou a área de Química no Brasil.

Entre os numerosos prêmios que recebeu, destacam-se: Retorta de Ouro (SIQUIRJ), Fritz Feigl (CRQ-4), Union Carbide, Rhone-Poulenc, Inovação (Abiquim), Eloísa Mano (ABPol), Pelúcio Ferreira (FINEP), Anísio Teixeira (CAPES), o Presidential Award daElectrostatic Society of America, o Prêmio Álvaro Alberto de Ciência e Tecnologia (CNPq/Fundação Conrado Wessel, o maior prêmio brasileiro da ciência e tecnologia) e os prêmios da SBQ Simão Mathias e Inovação. Este último foi criado em 2006 e denominado “Prêmio SBQ de Inovação – Fernando Galembeck” (Fernando foi o primeiro a recebê-lo) em reconhecimento à sua atuação na ciência e tecnologia nacionais e para homenagear a competência e a capacidade inovadora dos contemplados.

Eleito membro da Third World Academy of Sciences (TWAS) em 2010, Fernando Galembeck recebeu a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico (2000) e hoje é Diretor do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano).

Parabéns, Professor Fernando Galembeck, pelos 70 anos e por tudo que fez pela Química no Brasil.

Aldo J. G. Zarbin, UFPR

Angelo C. Pinto, UFRJ

Jailson B. de Andrade, UFBA

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone