O novo síncrotron brasileiro: “are we Sirius”?

Publicado em 17/03/2016
Agência FAPESP em 14/03/2016

 

O Instituto de Física da USP realizará, no dia 17 de março de 2016, a partir das 16h, a palestra “O novo síncrotron brasileiro: ‘are we Sirius’?”, com o professor Antonio José Roque da Silva, diretor do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) e professor titular do instituto.

O uso de luz síncrotron, pelas mais variadas áreas do conhecimento, tem tido mundialmente um crescimento contínuo. Isso, em parte, se deve ao aumento sistemático do brilho ao longo dos anos, o que permite novos experimentos e novas técnicas.

O Brasil, por meio do LNLS, desenvolveu a tecnologia e construiu a primeira fonte de luz síncrotron no hemisfério Sul, ainda única na América Latina. Desde 1997, o LNLS opera esse equipamento como uma facilidade aberta.

Apesar desse sucesso, a atual fonte brasileira é uma máquina de segunda geração, com perda contínua de competitividade. Desde 2008, o LNLS trabalha no projeto e construção do novo síncrotron brasileiro, o Sirius, uma das maiores e mais complexas infraestruturas científicas já construídas no país.

Concebido como um síncrotron de 4a geração, projeto 100% nacional e um dos mais avançados do mundo, o Sirius abrirá enormes oportunidades para o estudo de materiais – orgânicos e inorgânicos – com grau de detalhe sem precedentes.

A palestra ocorrerá no Auditório Abrahão de Moraes do Instituto de Física, rua do Matão, travessa R, 187, Cidade Universitária. Também será transmitida ao vivo pela internet, em www.iptv.usp.br.

Mais informações: (11) 3091-6965.

Repercussão: Planeta Universitário

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone