Curso de microscopia com apoio da internet

Publicado em 02/02/2012

Assessoria de Comunicação, em 02/02/2012

Streaming possibilitou dobrar o número de participantes e atender um número recorde de pesquisadores

Seminários do IV Curso Teórico-Prático de Microscopia Eletrônica de Transmissão foram transmitidas ao vivo pela internet

A internet foi a grande parceira do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano/CNPEM) na quarta edição do Curso Teórico-Prático de Microscopia Eletrônica de Transmissão, realizado entre os dias 9 e 27 de janeiro de 2012, em Campinas. A transmissão ao vivo dos seminários dobrou o número de participantes e atendeu recorde de interessados no tema.

O curso teve 58 participantes, dentre pesquisadores, estudantes de graduação e de pós-graduação, em nível de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Nas duas primeiras semanas os seminários eram teóricos e foram transmitidos ao vivo pelo site do curso. Esta ação colaborou para o aumento de audiência que chegou a dobrar, em algumas ocasiões. “Tivemos uma média de mais de 50 pessoas, por dia, assistindo à transmissão”, comenta Luiz Fernando Zagonel, um dos organizadores. “Este é um tipo de conhecimento que interessa cada vez mais a comunidade científica no Brasil”, completa. Todo o conteúdo das apresentações foi gravado e será disponibilizado, em breve, no próprio site do curso.

Para ampliar ainda mais a participação de interessados e aproveitar o conhecimento dos palestrantes convidados, nacionais e internacionais, o LNNano realizou um ciclo de mini-oficinas, na segunda semana de curso, sobre temas relacionados à microscopia eletrônica e outras técnicas de caracterização. As apresentações foram organizadas de forma temática ao longo dessa semana, abordando várias aplicações das técnicas em áreas como catálise, macromoléculas e polímeros, entre outros.

A última semana de curso fora destinada à parte prática, nos microscópios do Laboratório de Microscopia Eletrônica (LME/LNNano), da qual participaram 15 alunos selecionados dentre os participantes. Os finalistas foram separados em pequenos grupos para realizarem procedimentos básicos, como captura de imagens, e procedimentos avançados, como espectroscopia com perda de energia. “As aulas práticas abordaram os desafios e as potencialidades de cada técnica em microscopia”, diz Zagonel. “De fato, as práticas reduzem o tempo de treinamento dos participantes, caso eles se tornem usuários e venham a utilizar nossa instrumentação”.

Na primeira edição do curso de Microscopia de Transmissão, em 2007, 92 candidatos disputaram as vagas oferecidas. Esse número se manteve estável em 2008, cresceu 30% em 2010 e saltou para 219 inscritos em 2012, num crescimento de 138%. “Isso mostra que a área tem crescente relevância nacional”, afirmou Carlos Aberto Aragão, diretor-geral do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), que abriga o LNNano, durante a abertura da quarta edição do curso.

O IV Curso Teórico-Prático de Microscopia Eletrônica de Transmissão teve apoio do Centro Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP).

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone