Grupo do LNNano trabalha para desenvolver nanomembranas com sistemas autônomos de monitoramento e detecção

Publicado em 23/10/2014

Agência CTI, em 21/10/2014

O Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) estuda formas de aplicar nanomembranas para a criação de sistemas autônomos de monitoramento e detecção. O objetivo é estudar processos de fabricação de dispositivos micro e nanoestruturados que sejam amigáveis e compatíveis com processos industriais. Estes componentes podem ser utilizados para funções de monitoramento, análise de concentrações e detecção de substâncias específicas em locais e ambientes distintos de forma autônoma.

O trabalho é desenvolvido pelo laboratório de pesquisa em Dispositivos e Sistemas Funcionais (DSF) do LNNano. Ao todo, dez pessoas, entre pesquisadores e bolsistas de graduação e pós-graduação participam da empreitada.

São considerados sistemas autônomos aqueles com dimensão menor ou igual a um centímetro cúbico. Estes sistemas quase não necessitam de manutenção e, muitas vezes, são descartáveis e feitos com materiais de baixo custo, o que representa diminuição de gastos. A tecnologia pode ser aplicada, por exemplo, para detectar a presença de gases em águas profundas e poços de petróleo para monitorar a concentração de gás carbônico em florestas.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone