Vice e ministro sobrevoam obras do Sirius e visitam laboratórios do CNPEM

Prefeitura de Campinas, em 16/02/2015

O vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira, representando o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, esteve na tarde desta terça-feira, 16 de fevereiro, com o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Eles sobrevoaram as obras do Sirius e depois visitaram as instalações de pesquisa dos quatro Laboratórios Nacionais do CNPEM.

Henrique destacou a importância do CNPEM e da construção do Sirius, nova fonte de luz síncrotron brasileira que está sendo construída pelo LNLS (Laboratório Nacional de Luz Síncrotron).

 “Temos o LNLS que já possibilita múltiplas possibilidades de pesquisas e com o Sirius teremos muitas outras perspectivas científicas e os olhos do mundo estarão voltados para Campinas”, disse.

O Sirius é uma fonte de luz síncrotron de quarta geração, planejada para ser uma das mais avançadas do mundo. Terá em seu núcleo um acelerador de elétrons de última geração, e deverá abrir novas perspectivas de pesquisa em áreas como ciência dos materiais, nanotecnologia, biotecnologia, física, ciências ambientais e muitas outras.

O ministro Celso Pansera se surpreendeu com o que viu. Foi a primeira visita ministerial dele ao município de Campinas. “Vi a qualidade dos equipamentos, a qualidade dos técnicos e a juventude. É muito importante perceber que o quadro de pesquisadores cientistas brasileiros se renova. Aqui temos jovens promissores produzindo conhecimentos de qualidade”, disse.

 O ministro acompanhado do vice-prefeito, do diretor geral do CNPEM, Carlos Américo Pacheco e do diretor do LNLS e coordenador do projeto Sirius, Antonio José Roque da Silva, foi a cada um dos quatro laboratórios, conversou com os diretores e com os cientistas sobre os projetos em andamento e sobre as obras do novo laboratório. “Levo daqui a certeza que a ciência brasileira está num bom caminho”, disse.

 O CNPEM tem quatro laboratórios, referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial: o LNLS (Laboratório Nacional de Luz Síncrotron), LNBio (Laboratório Nacional de Biociências), CTBE (Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol) e LNNano (Laboratório Nacional de Nanotecnologia).

O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e está, nesse momento, construindo Sirius, o novo acelerador brasileiro, de quarta geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos. A previsão é que o Sirius esteja pronto em 2018.

Fonte de luz

O LNLS integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Este laboratório é responsável pela operação da única fonte de luz síncrotron da América Latina, aberta ao uso das comunidades acadêmica e industrial.

O síncrotron brasileiro possui hoje 17 estações experimentais – chamadas linhas de luz –, voltadas ao estudo de materiais orgânicos e inorgânicos por meio de técnicas que empregam radiação eletromagnética desde o infravermelho até os raios-X.

O Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da Biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE) investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.

 Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone