Tecnologia brasileira vai diagnosticar agentes causadores de diarreia

Publicado em 26/11/2014

Portal Brasil, em 18/11/2014

Principal objetivo do kit que está sendo desenvolvido é acabar com o diagnóstico equivocado de virose

Diagnosticar de forma rápida e barata se a diarreia é causada por bactérias, vírus ou parasitas. Este é o principal objetivo do kit de diagnóstico que está sendo desenvolvido no Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), em parceria com a empresa ColOff.

O projeto é financiado pelo Programa Inova Saúde da Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Finep/MCTI), custará R$ 1,5 milhão e deve ser concluído em 2016, quando será entregue o protótipo do teste.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a diarreia mata cerca de 1,5 milhão de crianças por ano e é considerada uma das principais causas de mortalidade infantil. “O diagnóstico da doença é demorado e pode custar até US$ 1 mil”, explica o gerente de Inovação do LNBio, Rodrigo Guerra.

O teste funcionará de forma similar aos testes de gravidez vendidos em farmácia e poderá ser utilizado por agentes de saúde em qualquer lugar, até em áreas muito remotas.

Algumas gotas de fezes serão depositadas sobre o dispositivo de diagnóstico e, em dez minutos, será possível conhecer o tipo de infecção causadora da diarreia.

“Projetaremos anticorpos específicos, destinados a detectar e sinalizar a presença de marcadores dos principais tipos de bactérias, vírus e parasitas responsáveis por casos de diarreia no Brasil”, explica Ana Carolina Figueira, pesquisadora do laboratório responsável pelo desenvolvimento técnico-científico do kit.

O método de diagnóstico deste teste, baseado na ligação anticorpo-antígeno, é conhecido por imunocromatografia. Trata-se de uma técnica comum em testes de diagnóstico rápido, por garantir estabilidade, baixo custo, fácil aplicação e leitura descomplicada dos resultados.

A inovação deste kit é o reconhecimento de marcadores de diversos agentes infecciosos em um único dispositivo. “O kit não atestará o tipo de bactéria, parasita ou vírus causador da diarreia, mas permitirá uma triagem inicial que ajudará os profissionais de saúde na tomada de decisões”, esclarece o diretor executivo da ColOff, Eliézer Dias.

“A partir do resultado deste teste, os pacientes receberão o tratamento adequado ou serão encaminhados para exames mais específicos. Assim, evitaremos o tratamento empírico da diarreia e o uso irracional de medicamentos, inclusive de antibióticos,” conclui Dias.

Neste momento, os pesquisadores trabalham na caracterização dos marcadores selecionados para serem detectados no teste. Depois da conclusão do protótipo, LNBio e ColOff devem estabelecer parceria com um laboratório de análises clínicas para validação do kit com amostras biológicas.

A tecnologia validada será, então, transferida para uma empresa apta a produzir e comercializar o produto.

Sobre o LNBio

O Laboratório Nacional de Biociências integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), uma organização social supervisionada Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O LNBio dedica-se à pesquisa e inovação nas áreas de biotecnologia e à descoberta e desenvolvimento de fármacos e possui instalações abertas às comunidades científicas e empresariais.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone