Sustentabilidade Bioetanol

Publicado em 08/03/2010
08/03/2010 – Portal CGEE

Para dar continuidade aos estudos sobre etanol de cana-de-açúcar, o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos realizou na última quinta e sexta-feira, 25 e 26 de fevereiro, uma oficina de trabalho para reunir pesquisadores, consultores e representantes de diversas instituições e organizações para discutir temas pertinentes.

O coordenador dos estudos sobre bioetanol no CGEE, Marcelo Poppe, estava presente, acompanhando a presidenta, Lucia Melo, que agradeceu a participação de todos. Ela comentou a função e a importância do Centro na produção de conhecimentos para o país, destacando que ?a inserção internacional do Brasil é um dos esforços, criando e explorando a inteligência nacional mobilizada e focada nos interesses brasileiros.

Cerca de 40 pessoas estiveram presentes durante o evento, entre representantes dos ministérios de Ciência e Tecnologia (MCT) e de Relações Exteriores (MRE), com apresentações de pesquisadores e consultores do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), do Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Energético (Nipe), da Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) e Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM), todos da Unicamp. Alguns dos temas discutidos foram os indicadores da sustentabilidade, a correlação entre o desmatamento da Amazônia e a expansão da área de plantio da cana, as novas tecnologias agrícolas e industriais e seus efeitos nas emissões de gases do efeito estufa (GEE) e outros assuntos relativos à produção de bioetanol com sustentabilidade. Por exemplo, durante a palestra ?Mapeamento de indicadores de sustentabilidade, ressaltou-se que ?não há correlação entre desmatamento da Amazônia e a expansão da cana com base em dados estatísticos que mostram que, em determinados espaços temporais, ao mesmo tempo em que a área de plantação de cana-de-açúcar aumenta, o desmatamento amazônico decai.

A oficina faz parte dos trabalhos vinculados ao atual estudo em atividade no CGEE, ?Sustentabilidade – Etanol – Fase II?, que dá continuidade aos esforços do Centro de cooperar com a tecnologia e inovação do Brasil na área de biocombustíveis. Estudos do CGEE sobre etanol de cana já impulsionaram a criação do CTBE. Entre eles, estão o livro Bioetanol de Cana-de-Açúcar: Energia para o Desenvolvimento Sustentável, lançado durante a 1ª Conferência Internacional de Biocombustíveis, em 2008, e a publicação Bioetanol Combustível: Uma Oportunidade para o Brasil, lançada em 2009, resultado de um estudo em três etapas em conjunto com o Nipe. Com estes estudos, o CGEE também gera subsídios para a construção de uma Agenda Brasileira de Etanol, presente nas negociações internacionais conduzidas pelo MRE junto às instituições como o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone