Statoil é finalista do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica

Your Knowledge, 13/11/2014
O desenvolvimento de técnica de fabricação de elementos filtrantes por soldagem por difusão é o tema do projeto selecionado
A Statoil está na final do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica com o projeto Desenvolvimento e Qualificação de Telas Premium para Controle de Areia, produzido em parceria com o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) e a ADEST Técnicas para Soldagem de Metais Ltda.O projeto teve como meta desenvolver um processo inovador, não disponível no Brasil. Atualmente, somente três empresas no mundo – localizadas nos EUA, Alemanha e Japão – dominam a técnica de fabricação de elementos filtrantes por soldagem por difusão aptos a serem usados em telas para controle de areia.“O processo de soldagem por difusão consiste em comprimir duas ou mais camadas de tecidos metálicos e submetê-las a um ciclo de alta temperatura, em um ambiente de vácuo, gás inerte ou atmosferas especiais. Esse processo une metalurgicamente as camadas mantendo suas propriedades mecânicas e químicas individuais inalteradas”, explica Sigurd Erlandsen, pesquisador do Centro de Pesquisas no Rio e responsável pelo projeto.

O elemento filtrante é formado por três ou quatro camadas, estritamente definidas, de tecido de aço inox ou Inconel, unidas por soldagem por difusão para otimização de processo filtrante e resistência mecânica. O produto final é um filtro extremamente rígido e com calibração poral muito estável, mesmo quando submetido a condições severas de pressão e tração.

Telas Premium para controle de areia – método de filtração in situ – são produtos de uso contínuo, em larga escala, na indústria petroleira do Brasil e do mundo. Quando essas telas não são utilizadas, a areia pode entupir ou erodir equipamentos e tubulações, inviabilizando a produção de poços e colocando em risco o investimento feito.

A tecnologia de soldagem por difusão foi transferida com exclusividade pelo CNPEM à ADEST por Contrato de Transferência de Tecnologia. A ADEST pagará ao CNPEM pela utilização dessa tecnologia, sob o título de royalties, no valor de 3% de suas vendas líquidas. Parte do faturamento obtido será obrigatoriamente revertido para pesquisa científica em instituição de renome internacional, atuando nas áreas de física, química, ciência dos materiais, biocombustíveis, nanotecnologia e biologia molecular estrutural, linhas de investigação consideradas estratégicas pelo governo federal.

A cerimônia de premiação do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica será realizada no dia 28 de novembro, às 16h, no auditório da Firjan, localizado no Centro do Rio de Janeiro.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone