Seminário no LNLS trata sobre fungos presentes na Antártica

Publicado em 05/02/2014

Portal do MCTI, em 05/02/2014

O continente antártico apresenta condições climáticas extremas e constitui um dos ambientes mais inóspitos do planeta, oferecendo condições exclusivas para estudar micro-organismos isolados geograficamente. A bióloga Iara Furtado Santiago trata sobre o tema nesta quarta-feira (5) em seminário no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), em Campinas (SP).

Mestre em biotecnologia pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e doutoranda em microbiologia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Iara explicará as adaptações que possibilitaram a permanência de comunidades microbianas no continente desenvolveram em condições desfavoráveis à vida.

O grupo de pesquisa MycoAntar vem desenvolvendo trabalhos desde 2006 dentro das atividades do Programa Antártico Brasileiro (Proantar). Reúne dados de fungos associados a solo, água, líquens, rochas e algas e endofíticos associados às angiospermas tanto na Península Antártica quanto na Antártica continental.

Na busca por modelos eucariotos para estudos de astrobiologia, micro-organismos presentes na região têm sido estudados quanto sua capacidade de resistir à radiação ultravioleta (UV).

Repercussão: Jornal Brasil

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone