Redes de Centros de Inovação do Sibratec/SisNano vão distribuir R$ 24 milhões para projetos de P&D ligados à nanotecnologia

Publicado em 29/09/2015

O Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI) aprovou a criação de duas Redes de Centros de Inovação, uma em Nanodispositivos e Nanosensores e outra em Nanomateriais e Nanocompósitos. Elas serão criadas no âmbito do Sistema Brasileiro de Tecnologia (Sibratec) e contará com a participação dos laboratórios associados ao Sistema Nacional de Laboratórios de Nanotecnologia (SisNano). Cada rede contará com R$ 12 milhões em recursos para o fomento de projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) a serem submetidos por empresas, em parceria com laboratórios do SisNano.

Os recursos provenientes da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) estarão disponíveis às empresas interessadas tão logo o processo de estruturação das Redes de Centros de Inovação seja finalizado, o que deve ocorrer nos próximos meses. O recebimento de propostas ocorrerá em fluxo contínuo e os projetos, que obrigatoriamente devem contemplar a participação de um Laboratório conveniado ao SisNano, podem ser executados em até 36 meses.

De acordo com Juliana da Silva Bernardes, pesquisadora do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano), o objetivo das redes do Sibratec é fomentar projetos que desenvolvam novos produtos ou processos tecnológicos ligados à temáticas trabalhadas. Além disso, a iniciativa foi planejada com foco em micro e pequenas empresas. A contrapartida financeira das empresas que tiverem propostas de P&D contempladas pelas redes será de apenas 5 e 10%, respectivamente.

LNNano como parceiro das empresas interessadas em submeter propostas às redes do Sibratec/SisNano

O LNNano integrará as duas Redes de Centros de Inovação do Sibratec: a em Nanodispositivos e Nanosensores e a em Nanomateriais e Nanocompósitos. O Laboratório está aberto à discussão de projetos com empresas interessadas nos recursos financeiros dessas redes. O contato pode ser feito pelo e-mail lnnano.dir@lnnano.cnpem.br ou telefone (019) 3518-3156.

Na área de Nanomateriais e Nanocompósitos, o LNNano possui um sofisticado polo de microscopia e outras facilidades voltadas à caracterização desses materiais. Recentemente, também foram implantadas instalações capazes de processar e produzir tais materiais, na escala de kg de produto.

Já na área de Nanodispositivos e Nanosensores, o Laboratório conta com uma ampla sala limpa (recém-inaugurada), laboratórios e time de pesquisa experiente nas áreas de micro- e nano-fabricação de dispositivos bem como na caracterização elétrica e eletroquímica de componentes.

Sobre o LNNano

O Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) está localizado em Campinas-SP e é integrante do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O Laboratório, aberto a usuários, busca, por meio de pesquisa in house, explorar oportunidades oferecidas pela nanotecnologia para atender às necessidades da agricultura, indústria e serviços, em âmbito regional, nacional e internacional. O LNNano também atua na criação e desenvolvimento de produtos e processos sustentáveis, através de seus cinco laboratórios: de Microscopia Eletrônica, de Microfabricação, de Ciência de Superfícies, de Materiais Nanoestruturados e de Caracterização e Processamento de Metais.

Sobre o CNPEM

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) é uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Localizado em Campinas-SP, possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial. O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e está, nesse momento, construindo Sirius, o novo acelerador brasileiro, de terceira geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos; o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da Biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE) investiga novas tecnologias para a produção de biomassa e biocombustíveis; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.

Os quatro Laboratórios têm, ainda, projetos próprios de pesquisa e participam da agenda transversal de investigação coordenada pelo CNPEM, que articula instalações e competências científicas em torno de temas estratégicos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone