Para CTBE e Unicamp, chuva acima da média em fevereiro favorece canaviais

UDOP, em 23/03/2015

O Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol – CTBE – e a Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Unicamp, divulgaram nesta segunda-feira (23) o Boletim de Monitoramento da Cultura da Cana-de-açúcar no Estado de São Paulo.

O levantamento, referente ao mês de fevereiro, traz a conclusão que a safra 2015/16 sofrerá por conta da falta de renovação dos canaviais. Mas as chuvas acima da média para o mês fizeram a cultura ter um desenvolvimento satisfatório.

Desempenho da safra

De acordo com o Boletim, os índices de vegetação no mês de fevereiro estão acima da média histórica, e indicam um bom desenvolvimento da safra 2015/16. Parte desse desempenho se deve ao alto índice de precipitação no mês. Fevereiro apresentou chuvas acima da média dos últimos 12 anos o que impactou de forma positiva no desenvolvimento dos canaviais, porém, a cana já não produzirá tão bem devido à seca da safra anterior.

Análise

O relatório traz uma análise do presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e também sócio diretor da Canaplan, Luiz Carlos Corrêa Carvalho (Caio). Para ele, a safra atual (2015/16) está em condições piores do que a safra anterior na região Centro-Sul, com exceção da região de Assis/SP.

Ainda segundo o especialista, isso se deve a uma somatória das condições climáticas e da baixa taxa de renovação dos canaviais. “Três anos atrás a taxa de reforma era de 20% e o ano passado foi de aproximadamente 12%. A produção da safra depende da cana de primeiro corte, para isso é preciso uma renovação de 20%. A safra atual é de uma canavelha”, explicou Caio.

O relatório completo, por regiões, está disponível para consulta no portal da UDOP,clicando aqui.

 

Patrícia Mendonça
Fonte: Agência UDOP de Notícias

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone