No cinquentenário da Fapesp, Raupp ressalta contribuição ao país

Publicado em 01/06/2012

Portal do MCTI em 31/05/2012

Por Cris Antunes

A comunidade científica ocupou todo o auditório da Sala São Paulo, na região central da capital paulista, nesta quarta-feira (30), para celebrar os 50 anos desde a criação da Fundação de Amparo à Ciência do Estado de São Paulo (Fapesp), completos no dia 23. A trajetória de sucesso da instituição ao conquistar posição de liderança como agência modelo nacional de apoio e fomento à produção científica foi destacada por cada uma das autoridades presentes – incluindo o governador Geraldo Alckmin, o presidente da Fapesp, Celso Lafer, e o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp.

“O modelo da Fapesp contribuiu para a formatação do nosso sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação nos moldes exitosos que temos hoje. As várias interfaces de nossas agências federais – CNPq, Capes e Finep – com as FAPs [fundações de Amparo à Pesquisa] são alavancas para o nosso desenvolvimento científico e tecnológico, e exemplos de vida federativa”, afirmou o ministro Raupp.

A história da Fapesp começa com o Decreto 40.132, de maio de 1962. Naquele primeiro ano de atuação foram concedidas 58 bolsas e 265 auxílios à pesquisa. Em 2011, conforme os dados da agência, a fundação investiu R$ 938,73 milhões – um aumento de 20% em relação ao ano anterior. E a previsão é atingir R$ 1 bilhão em 2012. O presidente Celso Lafer credita o crescimento contínuo da instituição a fatores distintos que incluem a manutenção da “qualidade da concepção que comandou suas origens”, conforme destacou em seu pronunciamento. Lafer citou também algumas das diretrizes que considera fundamentais para o sucesso, entre elas: “apoiar a pesquisa e não fazer pesquisa. E o reconhecimento da interdependência entre pesquisa básica e aplicada”.

O navio para pesquisas oceanográficas Alpha Crucis, comprado recentemente pela Fapesp para o Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (USP), foi lembrado como exemplo da capacidade para investimentos que a instituição está preparada para executar em benefício do desenvolvimento do país.

Parcerias

O envolvimento da Fapesp com a elaboração, o financiamento e a execução de projetos de âmbito nacional foi elogiado pelo ministro Raupp, que informou que o MCTI está caminhando junto com a fundação para promover dois grandes passos na ciência brasileira: a compra de um reator multipropósito a ser instalado no Instituto de Pesquisas Nucleares (Ipen), em São Paulo, que atenderá a demanda nacional por radioisótopos para aplicação médica, no valor de R$ 400 milhões; e a instalação da fonte de luz síncroton de terceira geração no Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS), em Campinas (SP), ao custo de R$ 477 milhões. O equipamento ampliará horizontes para as técnicas de caracterização de materiais e atenderá pesquisadores do Brasil e do exterior.

“Além dessas duas situações específicas, são várias as parcerias da Fapesp com as agências de fomento do governo federal em programas regulares de apoio à ciência, à tecnologia e à inovação. Em minha gestão no ministério, quero incrementar ainda mais essas parcerias”, concluiu.

O concerto comemorativo do Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) encerrou a cerimônia com um programa ilustrando dois temas centrais: conhecimento e inovação.

Repercussão: Noodls

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone