Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva da Argentina visita o CNPEM

Publicado em 21/08/2015

Assessoria de Comunicação em 21/08/2015

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva (MINCyT) da Argentina, Dr. Lino Barañao, visitou o Centro Nacional de Pesquisa em Energia em Materiais (CNPEM) nesta quinta-feira, 20 de agosto. Barañao esteve nas instalações dos Laboratórios Nacionais de Luz Síncrotron (LNLS) e de Nanotecnologia (LNNano) e reuniu-se com o Diretor-Geral do CNPEM, Carlos Américo Pacheco; o Diretor do LNLS, Antônio José Roque da Silva, o Diretor do LNBio, Kleber Franchini, e com o Diretor do LNNano, Marcelo Knobel.

A aproximação entre o MINCyT e o CNPEM tem como principal objetivo fortalecer as interações já existentes e estimular acordos de cooperação científica e tecnológica, principalmente em luz síncrotron, biociências e nanotecnologia.

O Ministro esteve em Campinas – SP acompanhado da Diretora de Relações Internacionais do Ministério, Agueda Menvielle; do Presidente do Conselho Argentino de Investigações Científicas e Técnicas (CONICET), Roberto Salvarezza e do Gerente da empresa INVAP, Héctor Otheguy.

Integração

No primeiro semestre de 2015, das 53 propostas de pesquisas internacionais realizadas nas instalações abertas dos Laboratórios Nacionais do CNPEM, 30 foram submetidas por pesquisadores argentinos.

As estações experimentais da fonte de luz síncrotron do LNLS são as mais utilizadas pelos pesquisadores do país vizinho. Atualmente, o LNLS está construindo uma nova fonte de luz síncrotron, Sirius. Quando a máquina estiver pronta, estima-se que o número de usuários estrangeiros, inclusive argentinos, deva aumentar significativamente, já que Sirius possibilitará a realização de experimentos mais competitivos mundialmente.

Além das fontes de luz síncrotron, projetos em biociências também aproximam o CNPEM da comunidade científica argentina.  O LNBio integra o Centro de Biologia Estrutural do Mercosul (CEBEM), juntamente com instituições da Argentina, Uruguai, Paraguai e do Brasil. O Laboratório também participará da Plataforma Regional de Métodos Alternativos ao Uso de Animais de Experimentação (PReMASul), projeto recém-aprovado, no âmbito do Mercosul. A Plataforma deve expandir para os países da região as experiências da Rede Nacional de Métodos Alternativos (Renama), da qual o LNBio é um dos Laboratórios Centrais, juntamente com os institutos nacionais de Controle de Qualidade em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (INCQS/Fiocruz) e de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Na área de nanotecnologia, pesquisadores argentinos já utilizam as instalações do LNNano, principalmente para experimentos de microscopia eletrônica. Ainda assim, o CNPEM e o MINCyT discutem o fortalecimento de uma agenda conjunta, visando o estabelecimento de parcerias em projetos estratégicos, a união de competências e o intercâmbio de pesquisadores.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone