LNLS disponibiliza seus recursos para atendimento de empresas privadas

Publicado em 17/03/2016
NIT Mantiqueira em 11/03/2016

 

O Arranjo NIT Mantiqueira visitou, no dia 04/03, o Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS), do CNPEM, para realizar a atividade de prospecção e mapeamento das competências e tecnologias da instituição

 

No dia 4 de março, uma equipe do Arranjo NIT Mantiqueira conheceu a infraestrutura e parte dos serviços oferecidos pelo Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS), do Centro Nacional de Pesquisas em Energia e Materiais (CNPEM). O objetivo dessa visita é realizar a atividade de prospecção e mapeamento das competências e tecnologias de cada área do laboratório, além de conhecer mais informações sobre os equipamentos e serviços desenvolvidos.

A visita foi acompanhada pelo Coordenador de Inovação do laboratório, José Antônio C. Lemos. O LNLS  possui 17 estações experimentais, que utilizam diferentes técnicas de análise,  nas três faixas dos espectro eletromagnético:  raio-x, ultravioleta ou infravermelho. Das três, a primeira é a faixa mais utilizada devido à intensidade dos fótons.

Além dessas estações experimentais, os pesquisadores contam com o  infraestrutura de outros laboratórios de apoio, com diversos equipamentos. Um desses laboratórios é dedicado à preparação das amostras dos pesquisadores externos que estiverem utilizando a infraestrutura do LNLS.

Segundo José Antônio, mesmo o Laboratório sendo a única fonte de luz síncroton existente  na América latina, são poucas empresas que utilizam a tecnologia e os serviços oferecidos. Como forma de aproximar o LNLS do mercado, as Micros e Pequenas Empresas (MPE) podem usar o cartão do BNDES para pagar as atividades e serviços do laboratório.

Visando a expansão desse trabalho em conjunto com empresas privadas, o LNLS conseguiu recursos para a construção do Sirius, projeto que colocará o Brasil na vanguarda da tecnologia de luz síncroton. O novo acelerador brasileiro será de quarta geração, possibilitando a análise de diversos tipos de materiais orgânicos e inorgânicos, e deverá ficar pronto em meados de 2018.

O NIT Mantiqueira desenvolve essa atividade de mapeamento nas Unidades de Pesquisa (UPs) associadas ao Arranjo com o objetivo de criar um documento, que será enviado MCTI, com as competências e tecnologias existentes no em cada instituição. Das instituições associadas, o Arranjo já realizou o mapeamento na Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), no Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), no Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (INPE), no Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI) e no Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNAno), do CNPEM.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone