LNBio participa de consórcio internacional sobre novos fármacos

Publicado em 12/03/2015

Portal Brasil em 09/03/2015

O consórcio internacional para o desenvolvimento de novos fármacos contra Doença de Chagas, Leishmaniose e Doença do Sono estará reunido pela primeira vez no Brasil, entre 8 e 10 de abril, em Campinas (SP).

O evento contará com representantes de institutos de pesquisa e empresas de biotecnologia de nove países para discutir o andamento do Projeto New Medicines for Trypanosomatidic Infections (NMTryI), uma iniciativa financiada pela União Europeia, por meio do Programa FP7.

O Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), associado ao Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), é o representante brasileiro no grupo.

Os pesquisadores do consórcio internacional participarão ainda de um simpósio, aberto ao público, sobre oportunidades de parcerias entre instituições brasileiras e europeias. Os eventos acontecerão entre 8 e 10 de abril no campus do CNPEM.

Projeto conjunto

Com orçamento de 7,6 milhões de euros e duração de três anos, o Projeto NMTrypI tem como principal objetivo otimizar moléculas com ação anti-tripanossoma, a fim de garantir medicamentos mais eficientes contra Doença de Chagas, Leishmaniose e Doença do Sono, também conhecida como Tripanossomíase Humana Africana. Conhecidas como doenças negligenciadas.

Estas enfermidades atingem principalmente populações de países em desenvolvimento e seus tratamentos são baseados em medicamentos antigos, os quais apresentam problemas de resistência e toxicidade.

Abordagem interdisciplinar

Para o desenvolvimento de novos fármacos, o consórcio investe em uma abordagem interdisciplinar e na reunião de competências de entidades da Itália, Alemanha, Portugal, Inglaterra, Grécia, Espanha, Bélgica, Sudão e Brasil.

O LNBio é responsável pela triagem das moléculas candidatas a fármacos, por meio de uma técnica automatizada conhecida como high throughput screening (HTS), utilizada para identificação de compostos que interferem nos mecanismos das doenças.

“Estamos testando aproximadamente 15 mil substâncias em ensaios celulares para essas doenças”, detalha a pesquisadora do LNBio, especialista em triagem para doenças negligenciadas, Carolina Borsoi Moraes. “Ao todo, realizaremos mais de 50 mil pontos de triagem.”

De acordo com o pesquisador do LNBio responsável pela participação brasileira no consórcio,  Lucio Freitas-Junior, o projeto NMTrypI alavancará um montante de mais de 365 mil Euros à Plataforma de Biologia Química e Triagem do LNBio.

“Este investimento beneficiará o processo nacional de descoberta e desenvolvimento de fármacos, por meio do treinamento de pessoal e aquisição de equipamentos”, afirma Junior.

Oportunidades de interação

Para disseminar o modelo de consórcio multinacional e apresentar oportunidades de interação entre grupos do Brasil e da Europa, principalmente na área de doenças negligenciadas, será realizado o simpósio: “Building International Consortia on parasitic diseases: the NMtrypl experience“, em 10 de abril, no Campus do CNPEM.

O evento é aberto à comunidade científica, as inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até 30 de março na página do evento na internet.

Fonte:
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone