Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol apresentará inovações na 25ª FENASUCRO & AGROCANA

Publicado em 21/07/2017
JornalCana, 19/07/2017

 

Gonçalo Pereira, diretor do CTBE, participa da primeira edição do Workshop de Bioeconomia no dia 34 de agosto. Divulgação

 

A 25ª edição da FENASUCRO & AGROCANA – Feira Internacional de Tecnologia Sucroenergética – que reunirá toda a cadeia produtiva do setor entre os dias 22 e 25 de agosto em Sertãozinho, um dos principais polos produtores do interior de São Paulo, traz muitas novidades em seu ano comemorativo. Entre elas, a presença do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), que integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O CTBE desenvolve pesquisa e inovação de nível internacional na área de biomassa voltada à produção de energia, biocombustíveis e bioprodutos, visando a transferência de processos da bancada científica para o setor produtivo.

Na FENASUCRO & AGROCANA, o Laboratório participará de duas formas. A primeira é com a realização, no dia 24 de agosto, do Workshop de Bioeconomia, com a presença dos pesquisadores e do diretor do laboratório, Gonçalo Pereira. O encontro apresentará as recentes pesquisas no âmbito da bioeconomia, discutindo a importância da comunicação e novas abordagens na solução de problemas como os gargalos da mecanização em máquinas capazes de operar em declives muito acentuados; equipamentos que reduzam o pisoteio e a compactação do solo, aperfeiçoamento de processos industriais (fermentativos, por exemplo), desenvolvimento de novos produtos químicos baseados em substratos renováveis, reduzindo cada vez mais nossa dependência por matérias-primas de origem fóssil, entre outros.

Segundo Gonçalo, o Workshop propõe amplo diálogo entre a iniciativa privada e órgãos de pesquisa, reduzindo a lacuna que existe entre ciência de ponta e setor produtivo. “As discussões devem abrir caminhos para que o Brasil se torne cada vez mais um País sustentável, autossuficiente em geração de energia e exportador de tecnologia. Participar da FENASUCRO &AGROCANA é um marco na história do CTBE. Estamos ultrapassando as barreiras que existem entre os Centros de Pesquisa e o setor produtivo, propondo parcerias que permitam aplicar o conhecimento científico na indústria”, acrescenta Pereira.

“A cana-de-açúcar precisa ser vista com um olhar muito mais tecnológico do que vinha sendo. Hoje ela é transportada por caminhões monitorados por satélite, muito diferente de quando isso feito por tração animal, no entanto o produto final não estava sendo analisado como deveria ser. Como é possível calcular o teor de açúcar que tem em cada caminhão de cana, por exemplo? Através de equipamentos de alta tecnologia que otimizem processos e automatizam a informação. Com isso, as usinas ganham mais resultados, no sentido de mais qualidade e eficiência para o produto, redução de custos de produção, refletindo no consumidor final”, explica o Gerente Geral da FENASUCRO & AGROCANA, Paulo Montabone.

Já a outra forma de participação do CTBE é com um estande montado especialmente na parte de exposições, em parceria com a multinacional Infors HT, apresentando dois equipamentos de última geração usados nos mais avançados laboratórios do mundo. Um deles, o Minitron, é utilizado no preparo de soluções ou no processo de desenvolvimento de reações químicas, com a função de homogeneizar as formulações e garantir os resultados dentro das usinas. Já o Minifors 2 é um biorreator avançado, normalmente utilizado na fermentação de micro-organismos, por oferecer a possibilidade de se controlar com precisão parâmetros como agitação, temperatura, pH da solução e até mesmo a oxigenação durante o processo produtivo da cana-de-açúcar.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone