Jonas participa de lançamento da pedra fundamental do projeto Sírius

Prefeitura de Campinas em 19/12/2014

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, participou na manhã desta sexta-feira, 19 de dezembro, da cerimônia de assinatura do contrato de construção civil do projeto Sírius e do lançamento da pedra fundamental da obra.

Na ocasião, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clélio Campolina Diniz; o diretor geral do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), Kleber Franchini; e o diretor do projeto Sírius, Antonio José Roque da Silva, assinaram um termo de compromisso com a finalidade de conjugar esforços para a execução do projeto de constução da nova fonte de luz síncroton.

O contrato foi assinado pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Clélio Campolina Diniz, e pelo diretor do projeto Sírius, Antonio José Roque da Silva. O evento foi realizado no CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, no Polo II de Alta Tecnologia de Campinas.

Além do prefeito, do ministro e do diretor do projeto Sírius, participaram da cerimônia o secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Júlio Semeghini; o secretário executivo do MCTI, Álvaro Prata; o presidente honorário do Conselho de Administração do CNPEM, Rogério Cerqueira Leite;o diretor da Racional Engenharia, Newton Simões Filho; e o presidente do Conselho Administrativo do CNPEM, Pedro Wongtschokski.

O projeto Sírius consiste na construção de um complexo de 68 mil m² em um terreno de 150 mil m² contíguo ao campus do CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais), onde está instalado o Polo II de Alta Tecnologia.

O Alvará de Execução das obras foi emitido pela Prefeitura de Campinas na última segunda-feira, 15 de dezembro, após tramitar pelos órgãos responsáveis por aproximadamente 60 dias.

Durante a cerimônia, Wongtschokski destacou a celeridade da Prefeitura de Campinas para aprovar o projeto Sírius.

“A Prefeitura de Campinas demonstrou uma eficiência incomparável e conseguimos todas as liberações em tempo recorde. Muito obrigado”, disse o presidente do conselho.

Jonas Donizette, por sua vez, falou do projeto estratégico para desenvolver novas parcerias e atrair investimentos na área de tecnologia e inovação.

“Sancionei,nesta semana, lei que reduz de 5% para 2% o ISSQN e lei de isenção total de IPTU para empresas de base tecnológica, entre outras. É uma aposta no futuro e queremos que Campinas seja a capital nacional da inovação”, disse.

Sírius

A maior parte do projeto Sírius, orçado em R$ 1,3 bilhão, será financiada pelo MCTI. A obra está orçada em R$ 510 milhões e o terreno, no valor de R$ 23,4 milhões, foi desapropriado e cedido pelo Governo do Estado de São Paulo.

Segundo os coordenadores do projeto, o prédio está entre as obras civis mais sofisticadas já construídas no país, com exigências de estabilidade mecânica e térmica sem precedentes.

O Sírius será um acelerador de partículas de última geração, usado na análise dos diversos materiais, orgânicos e inorgânicos.

Segundo Antonio José Roque da Silva, o equipamento será construído, em sua maioria, com tecnologia brasileira. Será instalado próximo à primeira e única fonte de luz síncrotron brasileira, que opera desde 1997, sob responsabilidade do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron .

O Sírius é considerado um dos maiores e mais complexos projetos da ciência brasileira dentro do escopo de responsabilidade do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Ele emitirá uma nova fonte de luz que será uma ferramenta científica de grande porte, usada na análise dos mais diversos materiais orgânicos e inorgânicos.

A previsão é de que o Sírius esteja pronto para emitir seu primeiro feixe de luz em 2018.

Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone