INCQS debate alternativas ao uso de animais em laboratórios

Publicado em 27/04/2016
Agência Fiocruz, 19/04/2016

O Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz) sediou o workshop Recent Developements in the Science, Validation and Acceptance of Alternative Methods to Animal Use, um painel sobre validação de métodos alternativos ao uso de animais. Trata-se de uma iniciativa no âmbito da 8ª Convocatória dos Diálogos Setoriais Brasil / União Europeia.

O evento é parte de uma série que marca a vinda ao Brasil de uma missão do Laboratório de Referência da União Europeia para Alternativas à Experimentação Animal (EURL-ECVAM), interessado em ter contato direto com a estrutura da Rede Nacional de Métodos Alternativos (Renama) e trocar conhecimentos e experiências na perspectiva de futuras colaborações conjuntas. A intenção desse intercâmbio é possibilitar iniciativas comuns sobre métodos alternativos, fortalecendo o diálogo e a cooperação entre especialistas brasileiros e europeus, com troca contínua de informações sobre as ações relacionadas ao assunto. Além de equacionar temas como o alinhamento de questões regulatórias para facilitar o desenvolvimento de métodos alternativos.

Antes da visita ao Instituto, a comitiva do EURL-ECVAN, composta de Maurice Whelan, Valerie Zuang, João Barroso e Roman Liska do IHCP/JRC, esteve em Brasília visitando o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a sede da Embrapa. Os representantes da missão participaram de outro workshop Inovação, Validação e Regulação: uma perspectiva bilateral em Métodos Alternativos ao Uso de Animais.

De Brasília, seguiram para Campinas, onde conheceram as instalações do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), um dos três laboratórios centrais da Renama, sendo os outros dois o Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e o INCQS. De Campinas a comitiva seguiu para o Rio de Janeiro, onde o INCQS foi o anfitrião dos especialistas internacionais, juntamente com a equipe do Centro Brasileiro de Validação de Métodos Alternativos (BraCVAM) e a do Inmetro.

Em uma intensa programação, os participantes do workshop conversaram pela manhã sobre o tema ‘validação’ em evento aberto ao público. À tarde, em encontro de trabalho, houve reunião de grupos de pesquisadores e especialistas brasileiros com os visitantes estrangeiros sobre a temática dos métodos alternativos do Inmetro, do INCQS e do BraCVAM.

“Esses contatos entre nossas instituições e as europeias, e as trocas entre seus pesquisadores e especialistas apontam para um futuro promissor e o início de parcerias efetivas entre a UE e nosso país”, avaliou Isabella Delgado, vice-diretora de Ensino e Pesquisa do INCQS. Eduardo Leal, diretor do INCQS, ressaltou que essa colaboração entre o bloco europeu e o Brasil se dá nos marcos de cooperação entre entes públicos que têm por norte a democracia e a ideia de um mundo multipolar. Trata-se de uma colaboração horizontal, mutuamente proveitosa e que pode se desdobrar em ações nas quais o Brasil seja uma ponte para seus parceiros da Unasul, da Celac e da África. “Além disso, a ideia de os animais serem portadores de direitos é um avanço civilizatório e a ciência deve estar a serviço desse e de outros anseios éticos da humanidade”, complementou.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone