Grandes projetos da ciência nacional são tema de série original do Discovery Channel

Publicado em 16/12/2016

Divulgação FMB-UNESP, 12/2016

“Brasil Ciência” estreia na próxima segunda-feira, dia 12

O Discovery Channel lança, na próxima semana, série sobre grandes projetos científicos e tecnológicos nacionais. “Brasil Ciência” exibirá episódios sobre o Satélite Geoestacionário, um projeto da Agência Espacial Brasileira (AEB); o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron e o Projeto Sirius, do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM); o Supercomputador Santos Dumont, do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC); o Navio Hidroceanográfico Vital de Oliveira, da Marinha do Brasil; e a Torre Atto, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. Os documentários originais da Discovery Brasil terão 50 minutos de duração e serão exibidos à meia-noite, com reprises em horários alternativos.

 

Projeto Sirius

O episódio sobre o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), responsável pela construção do novo acelerador de elétrons brasileiro, Sirius, irá ao ar à meia noite, de terça para quarta-feira. O Programa irá mostrar como o Sirius permitirá a realização de experimentos hoje impossíveis no País, abrindo novas perspectivas de pesquisa em física, química, biotecnologia, ciência dos materiais, nanotecnologia, ciências ambientais e muitas outras áreas. Dois exemplos de pesquisa com luz síncrotron conduzem o episódio: o desenvolvimento de nanopartículas para combater o câncer e a produção de organóides humanos, um exemplo de avanço na área de métodos alternativos ao uso de animais. Esses estudos são realizados em parceria com o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) e Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano), também integrantes do CNPEM, e ilustram  a agenda transversal de pesquisa presente entre os Laboratórios Nacionais do Centro, que conta ainda com o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE).

 

Sobre o LNLS

O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Localizado em Campinas-SP, o LNLS é responsável pela operação da única fonte de luz síncrotron da América Latina, aberta ao uso das comunidades acadêmica e industrial. O síncrotron brasileiro possui hoje 18 estações experimentais ? chamadas linhas de luz ? voltadas ao estudo de materiais orgânicos e inorgânicos por meio de técnicas que empregam radiação eletromagnética desde o infravermelho até os raios X. O LNLS está neste momento construindo o Sirius, uma fonte de luz síncrotron de quarta geração, planejada para ser uma das mais avançadas do mundo.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone