Geradores Cummins garantem energia para funcionamento de acelerador de partículas do Laboratório de Luz Síncrotron

Publicado em 26/08/2016
Panorama de Negócios em 23/08/2016

 

Referência em pesquisas de tecnologia de ponta, o Centro Nacional de Pesquisas em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas, agora conta com dois grupos geradores da Cuacelerador de particulas (7 of 10)mmins Power Generation, fabricados na Inglaterra, para garantir a alta qualidade de fornecimento de energia exigida para funcionamento dos seus Laboratórios e, em especial, do acelerador de partículas, utilizado em pesquisas científicas e industriais, operado pelo Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), um dos Laboratórios que faz parte do CNPEM.

O LNLS opera a Fonte de Luz Síncrotron, produzindo ondas eletromagnéticas a partir da energia cinética de feixe de elétrons com velocidade próxima a velocidade da luz. Pesquisadores que atuam em diversas áreas do mercado utilizam a Radiação Síncrotron para coletar informações relevantes sobre as propriedades estruturais e químicas dos materiais no nível molecular.

A Usina Elétrica de 5.000 kVA, com dois geradores modelo C2000D6 (2x 2500kVA), de fabricação Cummins, foi montada pela Distribuidora de Motores Cummins (CDMC),  em 2015, com o fornecimento de uma unidade completa, inclusive transformador e painéis de média tensão e a reinstalação nesse mesmo local de uma unidade geradora existente, de mesma característica técnica, adquirida anteriormente pelo CNPEM em 2001, para operar em paralelo entre si e em processo de rampa com a rede de energia da CPFL Paulista.

O gerente  de vendas de Grupo Gerador da CDMC, Eduardo Borges Aparício Silva explicou que essas unidades trabalham em paralelo formando os 5.000 kVA para atender o acelerador de partículas. “Se estiverem fazendo algum estudo com o acelerador de partículas do feixe de Luz Síncroton e ocorrer, por exemplo, uma queda de energia, eles perdem todos os estudos referentes ao que eles estavam fazendo naquele período. Os geradores fornecem energia para o acelerador para que não ocorra nenhuma variação de energia ou quebra. Se ocorrer quebra perde-se todos os dados desse estudo. Foi feita uma avaliação das cargas que existiam para atender o acelerador de partículas. Foi feita uma avaliação também com a concessionária de energia CPFL, que também está habilitada. Ele pode trabalhar  com a concessionária e grupo gerador juntos em paralelo. Isso cria um sistema robusto no caso de fornecimento de energia com um sistema que dificilmente vai ter falhas, ou seja, de variação de corente de tensão porque os geradores estão suportando a carga. Ele pode usar e energia de 70% do gerador e 30% da concessionária ou usar 100% do grupo gerador para fornecer energia para o acelerador de partículas”, explica.

O LNLS possui hoje 18 estações de pesquisa, chamadas linhas de luz, voltadas ao estudo de materiais orgânicos e inorgânicos, por meio de técnicas que empregam radiação eletromagnética desde o infravermelho até os raios X. O LNLS está neste momento construindo o Sirius, uma fonte de luz sincrotron de quarta geração, planejada para ser uma das mais avançadas do mundo. A previsão é que o Sírius, que também está sendo construído em Campinas, entre em operação em 2018. A obra está 50% concluída, mas pode ser postergada a sua operação para 2019. Para sua plena operação também será construída outra Usina Elétrica com o mesmo potencial de 5.000 kVA, no qual o CNPEM está em tratativas com a Cummins Power Generation.

Segundo Eduardo Borges, o grande desafio foi fazer toda a parte de instalação para atender a demanda do acelerador, que levou pouco mais de 45 dias para estar concluída. “Isso foi de responsabilidade da CDMC em fazer toda a parte de infraestrutura e toda a parte de instalação”, ressaltou.

A Cummins Power Generation, fabricante que fornece sistemas completos de geração de energia a Diesel e gás natural, atendendo demandas de diversos portes está presente em 190 países e com fábricas instaladas nos cinco continentes. A fábrica brasileira, instalada em Guarulhos, na Grande São Paulo, produz geradores de até 600 kVA.

 

Foto: Acelerador de partículas do laboratório de Luz Síncroton.

Crédito: Divulgação.

Repercussão: Revista M&T; InfraRoi; In The Mine

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone