Fórum de Bioeconomia

Publicado em 31/10/2014

Metrocamp, em 27/10/2014
A professora e coordenadora do curso de Ciências Biomédicas da Faculdade Metrocamp, Patrícia Melo e a professora Vanessa Pegos, participaram no último dia 23 de outubro do 3º Fórum de Bioeconomia, que aconteceu em São Paulo.

O evento promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em parceria coma Harvard Business Review-BR (HBR-BR) teve o objetivo de promover debates sobre práticas e políticas públicas para favorecer os negócios no setor de biotecnologia, tendo em vista que o Brasil possui a maior biodiversidade do mundo e pode se tornar um dos líderes deste mercado.

Durante o encontro as professoras da Metrocamp tiveram a oportunidade de expandir o network com empresas de bases biotecnológicas e com pesquisadores de universidades e centros de pesquisa no Brasil e no exterior.

Diversos empresários e acadêmicos discutiram sobre a bioeconomia no Brasil e no mundo,ressaltando que o ambiente brasileiro é favorável para os bionegócios, sendo necessário respeitar os critérios de sustentabilidade. Participaram de debates,presidentes e representantes de indústrias com bases biotecnológicas, como a GranBio, Pitanga Invest, TGP Alternative & Renewable Technologies, Recepta Biopharma e Braskem e, pesquisadores de universidades e centros de pesquisa (UniRio, CNPEM, Associação Brasileira de Biotecnologia Industrial e o o chefe da seção de Ciência, Tecnologia e Inovação da Delegação da União Européia no Brasil), sendo que estes talk shows foram mediados pelo jornalista William Wack. O professor Gregory Stephanopoulos (Departamento de Engenharia Química, MIT,EUA) destacou o impacto da engenharia metabólica e biologia sintética nos negócios do século XXI, demonstrando o lucro que o MIT, como universidade privada, apresenta anualmente com o desenvolvimento de pesquisas e aplicação de patentes.

A percepção das professoras após o encontro é que o Brasil precisa investir fortemente em capital humano e no intercâmbio de pesquisadores para a construção de um ambiente multidisciplinar entre os estudantes e professores. Este ecossistema facilitará a incorporação de novos modelos econômicos e de inovação bem como aumentar a competitividade das indústrias de base biotecnológicas. Há grandes oportunidades para nos sairmos bem conectado ciências e negócios a fim de promover riqueza e a oferta de novos produtos e serviços. Podemos ressaltar como vantagens a nossa localização geográfica, extensão territorial e o grande contingente acadêmico formado nos últimos anos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone