Escola de Ciência Avançada em Proteômica tem 90 vagas para estudantes

Publicado em 23/03/2017
Agência FAPESP em 21/03/2017

LINKhttp://agencia.fapesp.br/escola_de_ciencia_avancada_em_proteomica_tem_90_vagas_para_estudantes/24958/

As inscrições para a Escola São Paulo de Ciência Avançada em Proteômica Baseada em Espectrometria de Massas (SPSAS-MS) estão abertas até 9 de abril. O curso será realizado de 28 de agosto a 6 de setembro no campus do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas (SP).

A SPSAS-MS, que tem apoio da FAPESP por meio da modalidade Escola São Paulo de Ciência Avançada (ESPCA), oferece 90 vagas para mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos, sendo 35 brasileiros e 55 estrangeiros.

Para manutenção dos estudantes selecionados que venham de outras cidades, estados e países, os benefícios oferecidos são passagens aéreas, despesas de transporte terrestre local (aeroporto-hotel) e diárias na cidade que sediará a escola.

As inscrições para a SPSAS-MS são gratuitas e a seleção será feita com base na análise do currículo e da carta de interesse, buscando diversificar ao máximo o país de origem dos participantes, segundo os organizadores.

“Vislumbramos atingir discussões de aspectos fundamentais a avançados na área de proteômica e espectrometria de massas e, na programação, estamos considerando as principais áreas da proteômica”, disse Adriana Franco Paes Leme, pesquisadora do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) e coordenadora da SPSAS-MS, à Agência FAPESP.

A Escola, organizada pelo LNBio, abrangerá “Proteômica quantitativa e espacial”, “Proteômica clínica”, “Proteômica baseada em alvos”, “Modificações pós-traducionais”, “Proteômica estrutural” e “Métodos computacionais e estatísticos para análise de dados de proteômica”. Os temas serão abordados em palestras teóricas e atividades práticas ministradas por seis cientistas brasileiros e seis estrangeiros.

Paes Leme (LNBio/CNPEM), Daniel Martins de Souza (Unicamp), David Schreimer (University of Calgary, Canadá), Eralp Dogu (Mugla University, Turquia), Giuseppe Palmisano (USP), Kathryn Lilley (University of Cambridge, Reino Unido), Martin Larsen (University of Southern, Dinamarca) e Solange Serrano (Instituto Butantan) são alguns dos pesquisadores confirmados que ministrarão aulas na escola.

A proteômica baseada em espectrometria de massas engloba identificação, quantificação, localização e determinação de modificações pós-traducionais de proteínas, bem como estudo de interação proteína-proteína, de suas funções e atividades.

“As técnicas de proteômica podem ser aplicadas em diversas áreas do conhecimento, refletindo a grande multidisciplinaridade da área de proteômica baseada em espectrometria de massas”, disse Paes Leme.

Segundo a pesquisadora, a proteômica está associada a descobertas recentes em várias áreas da ciência, como saúde, biologia, química, física e nanomateriais.

Desde 2010, o Laboratório de Espectrometria de Massas do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), integrante do CNPEM, tem realizado workshops sobre proteômica com apoio da FAPESP, tendo um importante papel na formação de usuários da técnica. “Queremos que a Escola seja uma porta para a formação e atração de futuros cientistas que se dediquem para o avanço da instrumentação, métodos e análise de dados, bem como para ampliar as fronteiras de aplicação das áreas de proteômica e espectrometria de massas”, disse Paes Leme.

Mais informações sobre a Escola São Paulo de Ciência Avançada em Proteômica Baseada em Espectrometria de Massas: http://pages.cnpem.br/ms/spsas

 

Repercussão: Revista Amozônia; Boa Informação; Rede Notícia

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone