Doutorado premiado

Publicado em 25/04/2012
Tese de Sarita Rabelo é eleita a melhor da Faculdade de Eng. Química da Unicamp e concorrerá ao Prêmio Capes de Tese

Assessoria de Comunicação, em 25/04/2012

Na última sexta-feira (20/4), a assistente de pesquisa Sarita Cândida Rabelo, do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), recebeu o prêmio de melhor tese de doutorado de 2010 da Faculdade de Engenharia Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A eleição qualifica o trabalho para concorrer ao Prêmio Capes de Tese que selecionará as melhores pesquisas de doutorado de todo o País no dia 11 de julho de 2012.

O estudo “Avaliação e otimização de pré-tratamentos e hidrólise enzimática do bagaço de cana-de-açúcar para a produção de etanol de segunda geração” foi orientado por Aline Carvalho da Costa, com co-orientação de Rubens Maciel Filho. A tese de Rabelo, financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), discutiu os desafios e as perspectivas do etanol celulósico, com foco nos principais gargalos do processo. Alternativas para a expansão da produção do biocombustível brasileiro foram estudadas através do emprego de novas tecnologias e da aplicação do conceito de biorrefinaria.

O diferencial da pesquisa de Rabelo foi a integração otimizada de todas as etapas do processo produtivo de etanol de segunda geração, com o objetivo de maximizar a produção do combustível, aproveitar os resíduos e conectar o processo proposto a uma usina de primeira geração. Dentre as descobertas, observou-se que um pré-tratamento eficiente e seletivo pode diminuir a carga de enzimas necessária para converter a biomassa em açúcares fermentescíveis a etanol, o que diminui os custos do processo.

O trabalho premiado na última semana pela Unicamp deu origem a sete artigos em revistas científicas indexadas, dois capítulos de livros e uma patente que foi escolhida para participar da primeira edição do “Desafio Unicamp de Inovação Tecnológica”, ocorrido em julho de 2011. Parte da pesquisa foi feita durante estágio no Institut National de la Recherche Agronomique (INRA), em Narbonne, França, para estudos de produção de biogás a partir dos licores de pré-tratamento.


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone