“Desafio é manter-se vivo”, destaca gerente de economia em boletim do CTBE

Publicado em 27/08/2015
UDOP, 18/08/15

interna_canavialNesta terça-feira (18), o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia – CTBE – e a Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Unicamp divulgaram o Boletim de Monitoramento da Cultura da Cana-de-Açúcar no Estado de São Paulo.

Desta vez, o material trouxe uma entrevista com o Gerente de Economia e Análise Setorial da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Luciano Rodrigues. Ele falou sobre o momento atual do setor, que enfrenta um período de recorde de unidades em recuperação judicial. Segundo o Boletim, desde 2008, 80 usinas já fecharam as portas em todo o Brasil. Somente neste ano, já são nove usinas fechadas no Centro-Sul.

“O tempo necessário para recuperação do capital investido em uma usina é de dez a quinze anos e a indefinição sobre o futuro da matriz de transportes dificultam a realização de novos investimentos para a expansão da produção”, explicou Rodrigues.

Esse cenário de fechamento de unidades pela primeira vez pode afetar a produção, pois até então a capacidade de processamento ociosa das usinas era muito grande, por isso elas também processavam a cana de usinas fechadas. Porém, Luciano alerta que “com a saturação da capacidade de processamento das usinas, é quase certo que essa safra terminará com muita cana em pé”.

Luciano acredita que o panorama futuro para a cana ainda apresenta fundamentos promissores. Pois, para o açúcar, o excedente mundial está quase equalizado e o crescimento da demanda deve permanecer em torno de 1,5% a 2% por ano (cerca 3 milhões de toneladas/ano) nos próximos anos.

“Para aproveitar esse futuro promissor, o setor precisa manter-se vivo no momento. As usinas que estão prosperando atualmente são as que tem uma gestão enxuta com otimização de uso dos recursos, mas que sobretudo não estão endividadas”, concluiu Rodrigues.
Desempenho da safra

O levantamento trouxe ainda informações sobre as condições climáticas dos canaviais. De acordo com os dados, os índices de vegetação no mês de julho estão acima da média histórica, e indicam um bom desenvolvimento da safra 2015/16.

Ainda de acordo com o levantamento, julho deste ano apresentou déficit de chuvas comparado com julho de 2014, com exceção na região sul do estado de São Paulo, que apresentou precipitação de 10% a 100% acima do ocorrido em julho de 2014. O relatório completo, por regiões, está disponível para consulta no portal da UDOP, clicando aqui. Para ler as edições anteriores, Clique aqui.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone