LNLS apresenta demandas a empresas para o Projeto Sirius na sexta-feira

Publicado em 13/11/2015
MCTI, em 4/11/2015

 

Nesta sexta-feira (6), o Centro Nacional de Pesquisa em Energias e Materiais (CNPEM) será palco da apresentação dos 13 desafios do segundo edital Fapesp/Finep para a construção do Projeto Sirius, a futura nova fonte de luz síncrotron brasileira. As inscrições podem ser feitas neste link.

Estão aptas a participar pequenas, médias e grandes empresas do estado de São Paulo interessadas em desenvolver tecnologias para suprir as necessidades do equipamento, que será instalado na sede do Cnpem, em Campinas (SP). A chamada promovida em conjunto pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) disponibiliza R$ 20 milhões, divididos igualmente entre as entidades.

O encontro, chamado Mesa Redonda Parceria Sirius, servirá ainda para que as companhias conheçam mais sobre o Sirius e o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS/MCTI), que cuidará da empreitada. Além disso, serão apresentados dados referentes às ações do primeiro edital da fonte de luz sincrotron, que selecionou oito empresas para cumprir outros 13 desafios apresentados à iniciativa privada.

Para o diretor do LNLS, Antonio José Roque da Silva, esta é uma oportunidade importante para que os atores envolvidos no desenvolvimento da estrutura de luz sincrotron possam interagir e conhecer diferentes aspectos acerca do anel acelerador. A programação vai das 8h30 às 16h30.

“É a chance que as empresas têm de conhecer, saber melhor quais são os desafios propostos para o Sirius. E elas também vão poder conversas com nossos técnicos para conhecer os detalhes e especificidades desses desafios”, afirmou.

Os desafios são etapas da construção da estrutura da fonte de luz sincrotron a serem completadas. São eles: trem de monitoramento de túnel; robô comandado por laser tracker; passarela sobre o anel; sensor hidrostático de nível e inclinação; banhos térmicos; controlador e driver para motor; sistema de banking modular para câmara de vácuo; câmaras de vácuo para elementos ópticos; estágios mecânicos de precisão; bases mecânicas ultra estáveis; cabanas experimentais; impressora 3D – manufatura aditiva; e mecânica do núcleo de ondulador universal.

Modelo positivo

Na avaliação de Antonio José Roque da Silva, o formato de parceria do edital é benéfico para todas as partes envolvidas no projeto. O diretor do LNLS acredita que a complementação orçamental dá fôlego para as empresas desenvolverem tecnologias específicas para suprir as necessidades da fonte de luz sincrotron.

“O Sirius é um projeto estruturante para o País. Pela dimensão dele, tem capacidade de alavancar o setor de inovação com base em tecnologia. E o modelo do edital é um sucesso por acoplar projetos científicos e tecnológicos com um programa estruturado na busca de empresas parceiras. A taxa de aprovação desse edital é significativamente maior que outras chamadas”, explicou.

Detalhes do edital

Os recursos destinados pela chamada pública são concedidos de forma separada do orçamento previsto para o Projeto Sirius. Ao menos 40% dos R$ 20 milhões disponibilizados serão destinados a empresas com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões. Cada companhia poderá solicitar até R$ 1,5 milhão, sem expectativa de reembolso pela agência financiadora, para executar o projeto em até 24 meses. As proponentes deverão indicar um pesquisador responsável ou coordenador técnico pelo projeto.

Os interessados terão até o dia 27 de novembro para submeterem propostas ao edital. O resultado final da seleção deve ser divulgado a partir de 1º de maio de 2016.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone